Nvidia (NVDC34): Duas razões para a perda de US$ 300 bilhões em valor de mercado na semana

Queridinha dos investidores entusiastas do futuro da inteligência artificial e uma das principais empresas de tecnologia do mundo, a Nvidia (NVDC34) teve uma semana para esquecer. Em apenas cinco pregões viu o seu valor de mercado despencar US$ 300 bilhões, com queda de 13,6% no valor dos seus papéis negociados na Nasdaq

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/Lead-Magnet-Dkp-1.png

Juntas, as sete maiores empresas de tecnologia do mundo — Microsoft, Apple, Nvidia, Alphabet, Amazon, Meta e Tesla — perderam US$ 950 bilhões no período

Só na sexta-feira (20), o recuo da Nvidia foi de 10%. De acordo com o Dow Jones Market Data, esse foi o pior desempenho diário para a companhia desde o dia 16 de março de 2020 — ápice da pandemia do coronavírus, em um dia que as ações despencaram 18,5%. 

O temor dos analistas pode ser sintetizado em dois pontos principais: o temor de que a febre da inteligência artificial tenha chegado ao fim e a projeção de juros mais altos nos Estados Unidos. 

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240.jpg

Nvidia: os vilões da vez

Para analistas internacionais, os números começam a mostrar que o mercado da Nvidia pode ter saturado, com sinais de desaquecimento na busca de chips. É bem verdade que, até agora, não houve uma queda na demanda e sim apenas uma manutenção das expectativas anteriores, sem sinais do frenesi dos últimos trimestres. 

Nesta semana, as pistas vieram do balanço da Taiwan Semiconductor Manufacturing Co. (TSMC), empresa que fabrica chips para a Apple e Nvidia. A companhia registrou alta no lucro, mas não revisou para cima a sua expectativa de crescimento no ano, além de ter reduzido a expectativa para o setor de semicondutores: avanço de 10%, enquanto a projeção anterior era de alta superior a marca. 

Conhecidas por serem sensíveis ao vai e vem da curva de juros, a deterioração do cenário macroeconômico também pesou para o resultado negativo das ações de tecnologia

Com dados das últimas semanas mostrando que a economia americana está mais aquecida do que o desejado, o Federal Reserve (Fed) pode prolongar o nível atual da taxa de juros no patamar atual. Isso levaria a um adiamento do tão esperado ciclo de cortes. 

O conflito no Oriente Médio também não ajuda. Com a tensão e temor de escalada na guerra, os preços do barril de petróleo se mantêm elevados, provocando um efeito inflacionário ao redor do mundo. 

A semana ruim não é a sentença do fim de uma era, mas certamente acenderá um sinal de atenção na mente dos investidores com relação ao quão sustentável são os ganhos estratosféricos da Nvidia

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240-2.png

Jasmine Olga

Compartilhe sua opinião