Netflix (NFLX34) cancela plano básico no Brasil; confira como ficam os preços a partir de agora

A Netflix (NFLX34) anunciou na quarta-feira (18) que vai encerrar o plano básico para novos assinantes da plataforma em diversos países, incluindo o Brasil. Ainda sem data definida, a decisão deve ter efeito a partir da semana que vem.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/Lead-Magnet-Dkp-1.png

Assim, a Netflix terá apenas três possibilidades de planos no Brasil: padrão com anúncios (R$ 18,90), padrão (R$ 39,90) e premium (R$ 55,90) – este último, possui resolução de transmissão em 4K, a mais alta oferecida pela empresa, enquanto as outras modalidades transmitem em 1080p.

Atualmente, o plano básico cobra R$ 25,90 por mês para streaming de 720 pixels, sem anúncios.

Assim como o Brasil, o plano básico da Netflix também deve ser cancelado na Alemanha, Espanha, Japão, México e Austrália, disse a empresa.

Também nesta quarta (18), a companhia anunciou aumento nos valores das assinaturas para usuários nos Estados Unidos (de US$ 6,99 a US$ 22,99), Reino Unido (£4,99 a £17,99) e França (de € 5,99 a € 19,99).

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240.jpg

Netflix amplia base de assinantes e tem lucro maior que o esperado no 3º trimestre

Segundo balanço divulgado na quarta-feira (18), no terceiro trimestre, o lucro líquido da Netflix foi de US$ 1,68 bilhão. O valor equivale a US$ 3,73 diluído por ação – mais do que o consenso de analistas ouvidos pela FactSet, que previam lucro por ação diluído de US$ 3,49.

A empresa de streaming informou, ao divulgar seu balanço corporativo, que encerrou o trimestre com 247,15 milhões de assinantes.

Os números correspondem a um avanço, em relação às cifras de um ano atrás. No terceiro trimestre de 2022, a Netflix teve US$ 1,398 bilhão de lucro líquido, lucro líquido diluído de US$ 3,10 e 223,09 bilhões de assinantes.

A empresa elevou a US$ 6,5 bilhões sua projeção para o fluxo de caixa livre para o ano fiscal de 2023, de US$ 5 bilhões na previsão anterior.

A Netflix também disse que a adoção aos seus planos com propaganda subiu quase 70%, em relação ao segundo trimestre deste ano.

Com informações de Estadão Conteúdo

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240-2.png

Giovanni Porfírio Jacomino

Compartilhe sua opinião