Semana do Fiagro

Netflix (NFLX34) e Meta (FBOK34) estão na pior e perdem espaço nos fundos multimercado

Netflix (NFLX34) e Meta (FBOK34) estão na pior e perdem espaço nos fundos multimercado
Netflix. Foto: Pixabay

Fundos multimercado estão vendendo suas ações da Netflix (NFLX34) e da Meta (FBOK34), controladora do Facebook, após a queda das big techs, informa a Reuters. Com o aumento dos juros nos Estados Unidos, que pressiona os papéis das empresas de tecnologia, gestores estão reavaliando suas posições nessas companhias que dispararam durante a pandemia.

Nomes como Tiger Global Management, Winslow Capital Management e Scopus Asset Management estão entre as gestoras de fundos multimercado que venderam todas as ações que detinham da Netflix, segundo a agência de notícias.

Somente neste ano, a empresa de streaming já perdeu cerca de 69% de valor de mercado com a queda de suas ações. O movimento de venda dos papéis se agravou depois que a companhia divulgou a primeira perda de assinantes em mais de uma década. Em seu balanço, a Netflix ainda fez a ressalva de que os próximos números também podem ser desanimadores.

As grandes empresas de tecnologia dispararam após o início da pandemia de Covid-19 em 2020 e ajudaram a impulsionar o S&P 500 para patamares recordes no período. Porém, o efeito agora é reverso com o aumento dos juros nos EUA e globalmente, o que coloca em xeque o crescimento futuro dos negócios.

O S&P 500 já acumula queda de aproximadamente 16% no ano, enquanto o índice Russell 1000 Growth , que é mais focado em empresas de tecnologia, cedeu próximo a 25% no mesmo período, informa a Reuters.

Fuga das empresas de tecnologia

A Light Street também vendeu todas as 7.960 ações que detinha da Netflix e ainda se desfez de 149.025 papéis da Meta (FBOK34), controladora do Facebook. E não parou por aí a revisão das empresas de tecnologia.

A gestora reduziu quase pela metade a participação na Alphabet (GOGL34), controladora do Google, e diminuiu a exposição à Amazon (AMZO34), cortando em 10% sua posição no trimestre encerrado em março, informa a Reuters.

Enquanto isso, a Hitchwood Capital Management vendeu todas as suas 390.000 ações da Meta, a D1 Capital, de Dan Sundheim, diminuiu sua participação na Amazon em 22%, para 198.433 ações, e a Melvin Capital vendeu todos os 850.000 papéis da Meta que detinha.

Mas nem todos os fundos multimercado endossam o movimento de fuga das empresas de tecnologia, algumas gestoras aumentaram posições em empresas selecionadas.

A Farallon Capital Management adquiriu 698.195 ações da Meta, aproveitando a queda de 40,5% das ações no ano até agora.

A Coatue Management, por sua vez, aumentou o número de ações que detinha nas empresas de tecnologia: alta de 18,2% na dona do Facebook, para 2.797.896. e de 54,5% na Netflix, encerrando março com 1.438.956 papéis a mais do que em dezembro.

Monique Lima

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO