Netflix (NFLX34) vê lucro subir 140% para US$ 1,7 bi no 1T21

A Netflix (NFLX34) divulgou nesta terça-feira (20) seus resultados no primeiro trimestre de 2021. A plataforma de streaming apurou um lucro líquido de US$ 1,707 bilhão no período, o que equivale a um avanço de 140% em comparação com o lucro apurado nos três primeiros meses de 2020.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/1420x240-Planilha-controle-de-gastos.png

Além disso, o lucro líquido da Netflix veio acima do projetado pela empresa, que esperava lucrar US$ 1,441 bilhão entre janeiro e março deste ano.

O lucro ajustado por ação foi de US$ 3,75 (cerca de R$ 20,89) acima dos US$ 3,16 (cerca de R$ 17,60) esperados.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Vídeo Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Por sua vez, a receita da companhia cresceu 24,2%, ante o primeiro trimestre de 2019, para US$ 7,163 bilhões, ficando em linha com a previsão feita pela plataforma de streaming no início do trimestre.

Ao mesmo tempo, a receita operacional de US$ 2 bilhões contra US$ 958 milhões mais que dobrou em relação aos três primeiros meses do ano passado. O resultado excedeu a previsão, “principalmente devido ao tempo gasto de conteúdo”.

O caixa líquido gerado pelas atividades operacionais no primeiro trimestre foi de US$ 777 milhões contra US$ 260 milhões no mesmo período do ano anterior.

Já o fluxo de caixa livre (FCF) para o trimestre foi de US$ 692 milhões contra $ 162 milhões no primeiro trimestre de 2020.

Coronavírus afeta total de assinaturas

Em carta aos acionistas, a companhia afirma que terminou o mês de março com 208 milhões de assinaturas pagas, um aumento de 14% na comparação anualizada. No entanto, o número ficou abaixo da previsão de 210 milhões.

A gigante de streaming acredita que o crescimento das assinaturas pagas desacelerou devido ao grande avanço da Covid-19 em 2020 e também devido a  uma lista de conteúdo mais leve na primeira metade deste ano, por causa de atrasos na produção em decorrência da pandemia.

“Continuamos prevendo um segundo semestre forte com o retorno de novas temporadas de alguns de nossos maiores sucessos e uma programação de filmes emocionante. No curto prazo, existe alguma incerteza da Covid-19; a longo prazo, a ascensão do streaming para substituir a TV linear em torno do mundo é a tendência clara em entretenimento”.

A companhia ainda prevê que o aumento de assinantes será acelerado novamente na segunda metade do ano, à medida que “grandes sucessos” retornam.

Netflix está produzindo na maioria dos principais mercados

Em relação às novas produções, a plataforma de streaming explica que embora a distribuição de vacinas seja desigual ao redor do mundo, a companhia está produzindo com segurança em todos os principais mercados, com exceção de Brasil e Índia

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

“Supondo que isso continue, vamos gastar mais de US$ 17 bilhões em dinheiro em conteúdo este ano e continuaremos a entregar uma incrível variedade de títulos para nossos membros”, aponta o documento.

Outra meta da Netflix para esse ano é criar “histórias locais autênticas em países de todo o mundo”.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/1420x240-Controle-de-Investimentos.png

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião