Com perda de assinantes, Netflix (NFLX34) demite 150 funcionários

Com perda de assinantes, Netflix (NFLX34) demite 150 funcionários
Netflix demite funcionários Foto pixabay

A Netflix (NFLX34) vai demitir 150 funcionários neste mês, quase 30 dias após anunciar, em seu balanço do primeiro trimestre de 2022, a perda de 200 mil assinantes no seu serviço de streaming. A saída desses empregados equivale a menos de 2% dos 11.000 contratados da empresa, diz reportagem da CNBC. Esse número de desligamentos equivale à maioria dos cortes que estão sendo feitos em outras companhias nos Estados Unidos.

“Como explicado no balanço do primeiro trimestre, o nosso crescimento lento impacta os custos da empresa”, justificou um dos representantes da empresa em entrevista à CNBC. “Então, infelizmente, precisamos demitir 150 dos nossos funcionários hoje, a  maioria dos Estados Unidos. Essas mudanças são movidas mais pela necessidade da companhia do que por motivos de desempenho pessoal, o que torna o processo ainda mais difícil. Nenhum de nós quer se despedir de bons colegas. Estamos realmente nos esforçando para apoiá-los durante essa difícil transição”, acrescentou o executivo da Netflix, não identificado pela CNBC.

A redução do quadro de funcionários, que era esperada, veio menos de um mês depois de a Netflix ter reportado a sua primeira perda de usuários em uma década e prever mais baixas no próximo trimestre. As ações da empresa caem mais perto de 70% desde janeiro, lembra a CNBC,

De acordo com o portal de notícias dos EUA, durante os balanços da Netflix do mês passado, o co-CEO Reed Hastings disse que a empresa procura vender espaço para anúncios publicitários para trazer novos assinantes, depois de anos resistindo a propagandas na plataforma.

A Netflix também está trabalhando para reprimir o compartilhamento de senha: além de seus 222 milhões de assinantes, existem mais de 100 milhões de casas que acessam a plataforma por meio do compartilhamento de perfis do streaming.

As demissões da Netflix, ligadas à perda de assinantes, são parte de uma contração muito maior de empregos na indústria tecnológica, assinala a CNBC. Diversas empresas do setor vêm anunciando, recentemente, congelamento na contratação de novos empregados e demissões, incluindo Amazon (AMZO34), Uber (U1BE34), Meta (FBOK34), ex-Facebook, e Robinhood, segundo a CNBC.

Netflix (NFLX34) lucro cai e empresa perde 200 mil assinantes no 1T22; ações têm queda de 25,7%

A Netflix (NFLX34) divulgou nesta terça (19) seu desempenho operacional no primeiro trimestre de 2022. A companhia de streaming apurou lucro de US$ 1,6 bilhão, recuo ante US$ 1,707 bilhão em igual período do ano passado. O lucro líquido diluído por ação ficou em US$ 3,53, de US$ 3,75 anteriormente. Analistas ouvidos pelo FactSet previam US$ 2,90.

Mas o dado que chamou a atenção dos investidores foi outro: o número líquido de assinantes pagos do serviço de streaming teve queda de 200 mil e a empresa projeta que esse componente tenha recuo de 2 milhões no segundo trimestre — a primeira vez em que isso aconteceu em dez anos. Isso fez com que as ações do Netflix despencassem no after hours: 25,73%.

A empresa projetava adicionar 2,2 milhões de assinantes a sua base trimestral entre janeiro e março — enquanto o mercado estimava 2,7 milhões de novas assinaturas.

receita da Netflix foi de US$ 7,868 bilhões no primeiro trimestre de 2022, de US$ 7,163 bilhões em igual período de 2021.

Segundo ela, a interrupção do fornecimento na Rússia, no contexto da guerra na Ucrânia, provocou a perda de 700 mil assinantes líquidos.

Em comunicado, a Netflix afirma que o crescimento de sua receita “tem desacelerado de modo considerável”. A empresa diz que a penetração já grande dela entre o público e a maior concorrência têm pressionado seus resultados, criando ventos contrários para o crescimento da receita.

Os executivos da empresa admitiram que a concorrência de outras plataformas de streaming teve um impacto negativo no resultado do primeiro trimestre de 2022.

Netflix informou que os gastos com conteúdo, principalmente séries e filmes originais, aumentaram, num cenário de concorrência acentuada no setor de streaming. Por isso a companhia elevou os preços de seu serviço.

Ana Carolina Cury

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO