Natura (NTCO3) propõe recompra antecipada de debêntures

A Natura (NTCO3), por meio de comunicado divulgado nesta sexta (17), detalhou que pretende recomprar de forma antecipada debêntures de sua própria emissão.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/06/Lead-Magnet-1420x240-3.png

Conforme o comunicado da Natura, será feita uma oferta de resgate antecipado da totalidade das debêntures da 11ª emissão.

Após a recompra, a companhia irá cancelar as debêntures em questão.

“A Oferta de Resgate Antecipado Total será realizada conforme os termos e condições constante do Edital e conforme os termos previstos “Instrumento Particular de Escritura da 11ª Emissão de Debêntures Simples, Não Conversíveis em Ações, da Espécie Quirografária, com Garantia Fidejussória Adicional, em Série Única, para Distribuição Pública com Esforços Restritos, da Natura Cosméticos”, diz o comunicado da companhia.

“Informações adicionais acerca da Oferta de Resgate Antecipado Total das Debêntures poderão ser obtidas junto à Companhia, conforme previsto no Edital”, completa.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/Ebook-Acoes-Desktop.jpg

Último resultado da Natura

A Natura registrou prejuízo líquido consolidado de R$ 935,126 milhões no primeiro trimestre de 2024 (1T24), alta de 43,39% contra o prejuízo líquido de R$ 652,154 milhões de igual período do ano anterior, segundo dados divulgados nesta terça-feira (14). As ações da companhia caem no Ibovespa.

O prejuízo líquido atribuído aos acionistas controladores no primeiro trimestre foi de R$ 934,816 milhões, alta de 43,28% contra o prejuízo líquido atribuído aos acionistas controladores de R$ 652,428 milhões de um ano antes.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, amortizações e depreciação) consolidado ajustado totalizou R$ 682,8 milhões, um avanço de 4,1% ante o reportado no mesmo intervalo do ano passado.

Já o Ebitda da Natura alcançou R$ 547,4 milhões nos primeiros três meses do ano, o que representa um recuo de 9,1% ante o apurado em igual etapa de 2023

A receita líquida da Natura no primeiro trimestre foi de R$ 6,105 bilhões, queda de 5,7% contra a receita líquida de R$ 6,471 bilhões de um ano antes.

O resultado financeiro líquido ficou negativo em R$ 361,1 milhões, recuo de 21,5% em relação ao resultado financeiro negativo de R$ 460,2 milhões apurado nos primeiros três meses de 2023.

O custo dos bens e/ou serviços vendidos pela Natura no primeiro trimestre foi de R$ 2,127 bilhões, queda de 8,05% contra o custo dos bens e/ou serviços vendidos de R$ 2,313 bilhões de um ano antes.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/1420x240-Controle-de-Investimentos.png

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião