AGENDA

Ministério da Economia tem proposta para taxar distribuição de dividendos

Ministério da Economia tem proposta para taxar distribuição de dividendos
Ministério da economia. Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil Local: Brasília-DF

A proposta do Ministério da Economia sobre a reforma do Imposto de Renda prevê a eliminação de juros sobre o capital próprio (JCP) e a taxação da distribuição de dividendos em 15%. As informações são do jornal Valor Econômico.

Atualmente não há taxação de dividendos, no entanto a proposta que já está em fase final de elaboração prevê que esse tributo pode passar de 15% no início, para 20%.

Além disso, consta na proposta  a redução, ao longo de 2 anos, da alíquota base do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) para 12,5%, e depois para 10% em um segundo momento. Atualmente, a alíquota está em 15%.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Vídeo Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Vale lembrar que em meados de julho do ano passado, o ministro da Economia, Paulo Guedes, declarou  que o governo estaria “entrando com um aumento de imposto sobre dividendos“.

Na época, o ministro  afirmou que a proposta incluía um IVA (imposto sobre valor agregado), que iria substituir os atuais PIS-Cofins, um imposto sobre transações digitais ou pagamentos e taxação de dividendos. Guedes também defendeu uma ampla reforma tributária para reduzir os impostos cobrados sobre a folha de pagamento, porém não deu maiores detalhes para o envio do texto ao Congresso.

Além disso, em meados de julho, a  avaliação de Rodrigo Zeidan, professor da New York University Shanghai (China), da Fundação Dom Cabral, e doutor em economia pela UFRJ, era de que a tributação de dividendos, caso aprovada, deveria reduzir o fluxo de caixa dos investidores.

Saiba mais: Tributação de dividendos deve reduzir fluxo de caixa de acionistas, diz Zeidan

“Como qualquer aumento de impostos, [o imposto sobre dividendos] diminui o fluxo de recursos para investidores e sócios das empresas. Até aí, é parte da realidade tributária. Não existe essa de diminuir impostos e aumentar arrecadação e nem vice-versa. Aumento de alíquotas diminui o fluxo de caixa dos acionistas”, disse.

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião