Greve do Metrô: Veja como a paralisação impacta os transportes hoje (28)

A greve do metrô em São Paulo nesta terça-feira (28) paralisou algumas linhas do transporte público, além de afetar o funcionamento dos trens. Confira a seguir atualizações sobre como estão rodando os metrôs e linhas da CPTM hoje, 28 de novembro:

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-1.png

Greve do metrô paralisa Linha Prata e afeta funcionamento de outras

De acordo com as atualizações ao vivo do site oficial do Metrô de São Paulo, a Linha Prata estava completamente fora de serviço nesta terça-feira (28) por volta das 9 horas da manhã.

No mesmo horário, as Linhas Azul, Verde e Vermelha, sob controle estatal, registravam um funcionamento parcial.

As Linhas Amarela e Lilás, das empresas ViaQuatro e ViaMobilidade, seguiam em fluxo regular.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-2-1.png

Trens da CPTM têm linhas reduzidas em meio à greve

Apesar dos maquinistas e supervisores dos trens da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) não terem aderido à paralisação dos transportes hoje (28), algumas linhas estão funcionando com algumas alterações:

As Linhas Diamante e Esmeralda, administradas pela ViaMobilidade, seguem a operação normalmente, assim como a Safira e Jade

Enquanto isso, a Linha Rubi tem a circulação reduzida entre as estações Luz e Caieiras. A Linha Turquesa encontra-se completamente paralisa e suas estações estão fechadas. A Coral apresentava maiores intervalos entre as estações Luz e Guaianazes pela manhã.

Motivações por trás da Greve do metrô de hoje

A Justiça do Trabalho havia decretado na segunda-feira (27) que os funcionários do Metrô de SP trabalhassem com pelo menos com 80% da capacidade total durante os horários de pico desta terça-feira (28), das 4h às 10h e 16h às 21h na CPTM e 6h às 9h e das 16h às 18h no Metrô.

Segundo o publicação no site oficial do governo do estado nesta terça-feira, às 9h15, “até o momento, os percentuais não vêm sendo cumpridos.”

A principal motivação por trás da greve unificada de várias categorias de funcionários públicos do estado são os planos de privatização do governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos).

Com a previsão de greve do Metrô, a Prefeitura de São Paulo decretou ponto facultativo, suspendeu o rodízio municipal de veículos e determinou operação especial no transporte público por ônibus.

O funcionamento foi normalizado para:

  • Escolas e creches;
  • Unidades de saúde;
  • Serviços de segurança urbana;
  • Serviços de assistência social;
  • Serviço funerário.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-1.png

Camila Paim

Compartilhe sua opinião