Grandes bancos do Brasil têm maior queda no lucro em 21 anos, diz estudo

Grandes bancos do Brasil têm maior queda no lucro em 21 anos, diz estudo
Grandes bancos do Brasil tem maior queda no lucro em 21 anos, diz estudo

No último ano, o lucro dos quatro maiores bancos do Brasil caiu 24,4%, a maior queda já registrada desde 2000, segundo estudo divulgado nesta quarta-feira (17) pela economatica.

A pesquisa consolida os resultados dos quatro maiores bancos do Brasil de capital aberto, sendo eles:

  • Bradesco,
  • Banco do Brasil,
  • ItauUnibanco,
  • Santander


E se baseia nos demonstrativos financeiros entregues pelas instituições à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) de 1994 até 2020.

“Não foram utilizadas informações de lucros recorrentes ou outros e sim os lucros contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil aplicáveis a instituições financeiras autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil publicados na autarquia”, explica a economatica.

De acordo com o estudo, de 1996 até 2000 os bancos tiveram queda de lucratividade em sete ocasiões. A maior queda ocorreu em 1995, refletindo o reconhecimento de perdas que o Banco do Brasil fez nos anos de 1994 e 1995. Em 1995, a queda do lucro foi de R$ 3,3 bilhões ou -735% comparando com 1994.

Já o segundo maior registro de queda aconteceu em 1996, a 42,9%, com um prejuízo de R$ 4,8 bilhões.

 ROE é o menor desde 1995

O estudo aponta ainda que a mediana do Retorno sobre Patrimônio Líquido (ROE) dos quatro maiores bancos brasileiros em 2020 foi de 12,06%, que é o menor valor já registrado desde 1995 quando foi de 10,56%.

Além disso, pelo terceiro ano consecutivo o Santander Brasil tem o melhor desempenho com ROE, de 17,9%, que é o segundo melhor registro do banco historicamente.

Ao passo que o Banco do Brasil, Bradesco e Itaú Unibanco (ITUB4) estão com 12,1%, 12,0% e 11,5%, respectivamente.

O Banco do Brasil e ItauUnibanco registraram as maiores quedas de ROE entre 2019 e 2020 com -7,5 e 7,2 pontos percentuais, respectivamente. O Bradesco, por sua vez, teve queda de 5,7 pontos percentuais e o Santander de 3,1 pontos percentuais.

PDD: o maior historicamente

Segundo aponta a economatica, o Provisões para Devedores Duvidosos (PDD) consolidado no ano de 2020 foi de R$ 94,4 bilhões, valor 22,57% superior ao do ano de 2019.

Com o ItauUnibanco registrando o maior crescimento entre 2020 e 2019 com 34,97%, seguido pelo Bradesco (BBDC4) com 34,42%, Banco do Brasil com 16,06% e Santander com 2,55%.

Além disso, o ItauUnibanco registrou o maior PDD anual em 2020 com 26,7 bilhões, deixando para trás o Banco do Brasil que era o banco com maior PDD entre 2013 e 2019.

Santander teve o maior PDD da história do banco com R$ 16,4 bilhões, assim como o Bradesco e o ItauUnibanco.

Somente o Banco do Brasil não atingiu o maior valor do período analisado, seu PDD de 2020 é o segundo maior, ficando atrás do valor de 2016 quando o banco registrou R$ 28,65 bilhões.

 Dividendos têm queda de 48,6%

O volume de dividendos e JCP´s  dos quatro bancos no ano passado foi de R$ 29,7 bilhões, o que representa queda de 48,69% em relação ao ano de 2019.

O Bradesco teve o menor valor distribuído em 2020 com R$ 1,43 milhão, que é o menor do período analisado e que representa queda de 91,93% com relação ao ano de 2019.

O ItauUnibanco teve a segunda maior queda, com 53,88%, e Banco do Brasil de -14,75%.

O Santander (SANB11) é o único banco que registrou crescimento de 45,66% de distribuição de dividendos e JCP´s entre 2020 e 2019.

Nominalmente, o ItauUnibanco teve o maior valor com R$ 12,0 bilhões, seguido pelo Santander com 10,2 bilhões, Banco do Brasil com 6,07 bilhões e Bradesco com R$ 1,43 bilhão.

 Valor de mercado tem queda de R$ 235 bi desde o Plano Real

Por último, a pesquisa aponta que o valor de mercado dos Bancos brasileiros em 12 de fevereiro de 2021 foi de R$ 716 bilhões, demonstrando queda de 24,78% com relação a dezembro de 2019.

Ao passo que no ano de 2020 a queda é de 16,37% e em 2021 até 12 de fevereiro de -10,06%.

O Banco do Brasil com -36,05% teve a maior queda percentual de valor de mercado entre dezembro de 2019 e 12 de fevereiro de 2021. Bradesco teve queda de 25,46%, ItauUnibanco com -23,32% e Santander com -17,15%.

Em dezembro de 2019, os maiores bancos do Brasil tiveram o maior valor de mercado, com R$ 951,8 bilhões, queda de R$ 235,8 bilhões até 12 de fevereiro de 2021.

 

Rafaela La Regina

Compartilhe sua opinião