Magazine Luiza (MGLU3) e Casas Bahia (BHIA3): Morgan Stanley corta preço-alvo e indica ações de outras varejistas

Em relatório, o Morgan Stanley (MSBR34) revisou as projeções para o setor de consumo e varejo para 2024 na América Latina, com destaque para as ações de Magazine Luiza (MGLU3) e Casas Bahia (BHIA3).

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240-Banner-Home-2-1.png

O banco cortou a recomendação para as ações do Magazine Luiza (MGLU3) de equalweight (exposição em linha com a média do mercado) para underweight (exposição abaixo da média do mercado), com preço-alvo sendo cortado de R$ 2,75 para R$ 2, ou baixa de 12% frente o fechamento da véspera.

Já para as ações de Casas Bahia (BHIA3), o Morgan Stanley manteve a recomendação underweight, com preço-alvo cortado de R$ 11,40 para 10 (queda de 1,1%). A preferência no segmento é pelas ações do Mercado Livre (MELI34) negociadas na Nasdaq. “Nós vemos tendências divergentes que continuam entre as operadoras de comércio eletrônico da América Latina”, avaliam os analistas do banco americano.

No caso de Magazine Luiza e Casas Bahia, os analistas do Morgan esperam que a pressão de lucros persista, em meio a uma ainda lenta recuperação do setor eletrônico e tração em categorias mais recentes que as varejistas apostam.

Ainda no relatório, o banco lembrou que enquanto Mercado Livre emergiu como o maior ganhador incremental de participação com o enfraquecimento da Americanas (AMER3), a equipe de análise vê a liderança em escala de mercado apoiando a monetização contínua da taxa de juros e a expansão das margens.

Sobre a Americanas, inclusive, os analistas permanecem sem recomendação em meio ao processo de recuperação judicial em curso.

Morgan Stanley: e no setor de vestuário, qual a melhor ação de varejista?

Para o segmento de vestuário, os analistas têm recomendação equalweight para Lojas Renner (LREN3) e underweight para C&A (CEAB3), sendo esta última destaque do setor de varejo em 2023.

“Continuamos cautelosos quanto ao potencial de investimentos em digitalização e a pressão competitiva sobre preços pesará nas margens do vestuário brasileiro, embora a intenção da pesquisa sobre vestuário online tenha sido favorável e acreditamos que a categoria poderiam beneficiar da melhoria das tendências de consumo”, avaliam os analistas.

O banco vê a relação risco-recompensa equilibrada para Renner, com desconto dos múltiplos de negociação em relação ao histórico, mas limitado catalisador de alta. Já em relação à C&A, a execução nas vendas/margem a recuperação superou as expectativas nos últimos trimestres, mas isso parece excessivamente refletido nas ações após a valorização do preço das ações em 2023.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240_TEXTO_CTA_A_V10.jpg

Magazine Luiza (MGLU3) anuncia mudanças na diretoria da empresa

O Magazine Luiza (MGLU3) anunciou nesta segunda (15) a nomeação da Vanessa Papini Rossini para o cargo de Diretora Adjunta de Relações com Investidores; Ela vai substituir Simon Olson, que, segundo o Magalu, “encerrou um longo ciclo de grandes contribuições na área de relações com investidores e de novos negócios.”

Segundo a varejista, a nova diretora adjunta de Relações com os Investidores do Magalu possui “sólida formação acadêmica”, graduada em Administração de Empresas pela Universidade de São Paulo e pós-graduada em Finanças e Controladoria pela escola de negócios Saint Paul.

Vanessa Papini Rossini integrou a equipe do Magalu em 2011, como trainee na área de finanças, e ascendeu na organização, passando por diversos cargos na tesouraria corporativa até ocupar anteriormente a posição de Gerente Sênior de Relações com Investidores”, comentou o Magazine Luiza em Fato Relevante divulgado hoje ao mercado.

“O Magalu também agradece ao Simon Olson pela dedicação e pelas contribuições significativas para o
desenvolvimento do ecossistema do Magalu. Simon esteve no cargo de Diretor Adjunto de Relações
com Investidores e Novos Negócios por sete anos, período em que liderou três ofertas subsequentes
de ações e teve um papel fundamental em mais de 20 aquisições e parcerias estratégicas”, complementa o comunicado do Magazine Luiza.

Reportagem do Brazil Jornal informa que a diretoria do Magazine Luiza teve mais uma mudança – não divulgada pela empresa. Celia Goldstein, que trabalhou na Amazon, Spotify e Meta (M1TA34), vai comandar a área de ads a partir do próximo dia 22. O Brazil Journal completa dizendo que Eduardo Galanternick, VP de negócios do Magalu, será substituído por Celia. Ela irá responder a ele.

Celia integrou a área de ads da Amazon no Brasil, desde 2020, e do Spotify, de 2015 a 2020. A ex-executiva do Magalu trabalhou ainda na divisão de varejo do Facebook.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/1420x240-Controle-de-Investimentos.png

Giovanni Porfírio Jacomino

Compartilhe sua opinião