AGENDA

Lojas Quero-Quero (LJQQ3) reverte prejuízo e lucra R$ 11,6 milhões no 1T21

Lojas Quero-Quero (LJQQ3) reverte prejuízo e lucra R$ 11,6 milhões no 1T21
Lojas quero-quero. Foto: Reprodução Facebook

A Lojas Quero-Quero (LJQQ3) divulgou nesta quarta-feira (5) os resultados do primeiro trimestre desse ano, quando anotou um lucro líquido de R$ 11,6 milhões no período. Vale lembrar que nos três primeiros meses de 2020, a companhia havia reportado um prejuízo de R$ 1,5 milhões.

“Mesmo com o impacto das restrições operacionais mais restritivas das atividades em março, a Companhia registrou Lucro Líquido de R$11,6 milhões no 1T21, vs um prejuízo de R$1,5 milhões no 1T20 (prejuízo de R$ 0,5 milhões no 1T19), resultado da ótima performance de vendas, expansão de margem e alavancagem operacional”, destaca a Lojas Quero-Quero em seu balanço.

Por sua vez, a receita operacional líquida da Lojas Quero-Quero ficou em R$ 435,4 milhões no primeiro trimestre do ano. O montante equivale a uma alta de 38,3% ante o resultado apurado entre janeiro e março do ano passado.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Vídeo Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

O Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado foi de R$ 40,2 milhões no primeiro trimestre de 2021, o que representa um avanço de 161,9% na comparação ano a ano.

A margem Ebitda ajustado do trimestre foi de 9,2%, apresentando expansão de 4,4 pontos percentuais em comparação com os três primeiros meses do ano passado.

Entre janeiro e março, as despesas operacionais da companhia totalizaram 138,8 milhões, com alta de 23,4% em comparação com o mesmo período em 2020.

As despesas com vendas aumentaram 22% na mesma base comparativa, para R$ 94,9 milhões. “O crescimento é atribuído ao aumento de vendas da Companhia e às despesas adicionais decorrentes da expansão orgânica”, explica a empresa.

Além disso, as despesas gerais e administrativas cresceram 25,9% no período, ante o três primeiros meses de 2020 e, segundo o documento, o crescimento é atribuído “principalmente a investimentos em pessoal e gastos com despesas operacionais e administrativas para suportar a expansão orgânica da companhia”.

Em relação ao desempenho operacional, a Lojas Quero-Quero destaca que as vendas mesmas lojas (SSS) cresceram 40,5% no trimestre. “O alto crescimento é beneficiado por uma base de comparação mais fraca, devido à interrupção nas operações de lojas ocorrida no ano anterior, que resultou em uma queda de 6,4% no SSS do 1T20, mas mesmo assim representa um crescimento de 31,6% vs 1T19”.

A companhia encerrou março desse ano com 404 lojas, sendo que 9 lojas foram inauguradas durante os três primeiros meses do ano.

Última cotação da Lojas Quero-Quero

A ação da Lojas Quero-Quero (LJQQ3) encerrou o pregão dessa quarta-feira em alta de 2,35%, aos R$ 19,15, enquanto o mercado esperava a divulgação dos resultados.

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião