Semana do Fiagro

Localiza (RENT3): Cade aprova compra de ativos feita pela Brookfield como ‘remédio’ para fusão

Localiza (RENT3): Cade aprova compra de ativos feita pela Brookfield como ‘remédio’ para fusão
Localiza (RENT3) e Unidas (LCAM3) devem fechar fusão no início de julho

Em decisão recente, o Tribunal do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou compra de ativos feita pela Brookfield, que controla a locadora de veículos Ouro Verde, no âmbito da fusão entre as líderes do setor Localiza (RENT3) e Unidas (LCAM3).

Com o sinal verde do Cade, agora a Localiza e Unidas devem fechar a fusão já no dia 1º de julho. A venda de ativos se deu pela cifra de  R$ 3,570 bilhões – que ainda pode sofrer alterações, conforme é esperado em transações dessa natureza.

A informação foi divulgada em fato relevante arquivado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nesta quarta-feira (22).

A venda é de ativos da Unidas, incluindo 49 mil carros, conforme reportado pelo Suno Notícias. A venda foi um dos ‘remédios’ para a fusão manter o mercado competitivo, conforme determinado pelo Cade em dezembro.

Ou seja, isso se dá como uma forma de controle de concentração firmado pelo órgão.

Os ativos da venda eram de empresas controladas da Unidas.

Conforme comunicado da primeira semana de junho, já era esperado que a Localiza venderia algo em torno de 45 mil e 50 mil carros, além de desinvestimentos de agências e lojas em aeroportos.

Na transação, os bancos Scotiabank, BTG e Citi atuaram como assessores financeiros e financiadores da Brookfield ora na transação e o Bank of America atuou como assessor financeiro de ambas as companhias.

Atuaram como assessores legais da operação, Pinheiro Neto Advogados, pelas Companhias, e Cescon Barrieu, pela Brookfield e
como assessores legais de antitruste, Machado Meyer, LCA e VMCA.

Entenda a compra da Unidas pela Localiza

Ainda no fim de 2021, o Tribunal do Cade aprovou união entre as duas empresas e incluiu na decisão uma série de “remédios” para diminuir a fatia do mercado da nova empresa para menos de 50%, impedindo uma concentração de mercado.

A votação no tribunal foi apertada: 3 a 2. A Unidas foi comprada pela Localiza e a aprovação saiu com restrições.

fusão das duas maiores empresas do setor de aluguel de veículos e gestão de frotas do país foi aprovada com ressalvas.]

A relatora, Lenise Prado, disse que é ncessário o cumprimento de cláusulas de restrições que incluem venda “significativa” de ativos na área de locação e que o acordo firmado é sigiloso e os termos não foram divulgados durante a leitura de seu voto.

A proposta de fusão, vale lembrar, foi anunciada ainda em 22 de setembro de 2020.

“Após estudos e consultas ao mercado, a Superintendência verificou que, entre os segmentos afetados pelo ato de concentração, os relacionados à venda de veículos usados e à Gestão e Terceirização de Frotas (GTF) não apresentam maiores preocupações do ponto de vista concorrencial”, disse o Cade.

“O primeiro é um setor pulverizado, razão pela qual Localiza e Unidas não teriam capacidade de exercer poder de mercado após a conclusão do negócio. Com relação ao segundo ponto, ficou demonstrado que existem outros concorrentes no setor capazes de competir de forma efetiva com as empresas no cenário pós-operação”, segue, em nota.

Contudo, o Cade fez algumas ponderações, destacando que “o ato de concentração gera riscos relevantes para o ambiente competitivo no mercado de locação de veículos. Isso porque a Localiza, que é líder desse segmento no Brasil, está adquirindo a Unidas, a sua maior concorrente”.

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO