Justiça homologa plano de recuperação judicial da Light (LIGT3)

A Light (LIGT3) informou que seu plano de recuperação judicial foi homologado por decisão proferida pela 3ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro. O documento havia sido aprovado em Assembleia Geral de Credores realizada entre os dias 25 de abril e 29 de maio.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/1420x240-Banner-Home.png

Conforme previsto no plano de recuperação judicial da Light e de acordo com a decisão, ficam bloqueadas as negociações de debêntures SESA e demais títulos que sejam nela lastreados.

Tal decisão tem como objetivo assegurar a operacionalização e a implementação das medidas de reestruturação do plano de RJ da Light.

O bloqueio segue até a data de fechamento da reestruturação, e inclui certificados de recebíveis imobiliários, desde que sejam lastreados nas debêntures SESA.

Último balanço da Light (LIGT3)

No primeiro trimestre deste ano, a Light (LIGT3) teve prejuízo líquido consolidado de R$ 304,3 milhões. Com isso, a empresa, reverteu o lucro de R$ 107,1 milhões anotado em igual período do ano passado.

De janeiro a março de 2024, o Lucro Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização (Ebitda, da sigla em inglês) totalizou R$ 294,4 milhões, queda de 45,3%.

Já a receita líquida ajustada foi de R$ 3,403 bilhões, montante 5,8% menor do que o observado um ano antes.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/Ebook-Acoes-Desktop.jpg

O prejuízo ajustado foi de R$ 393,4 milhões, impactado principalmente pela contabilização da provisão para a não recuperabilidade de créditos fiscais diferidos complementares de R$ 234,2 milhões. Também pesou a redução 63,0% do Ebitda da Light, que totalizou R$ 127,4 milhões.

A companhia informou, ainda, que as despesas com Pessoal, Material, Serviços de terceiros e Outros (PMSO) foi impactado em R$ 81,8 milhões, relativos à operação emergencial na Ilha do Governador.

Essa operação demandou o aluguel e abastecimento de 95 geradores, mobilização de pessoal e contratação de serviços de vigilância para garantir a segurança dos empregados e prevenir o furto de materiais. Excluindo o evento não recorrente o PMSO aumentou R$ 61,8 milhões no trimestre.

No segmento de geração e comercialização, a Light teve lucro líquido de R$ 63 milhões, redução de 38,1% em base anual de comparação. Já o Ebitda ajustado somou R$ 172,4 milhões, queda de 14,6%.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Guilherme Serrano

Compartilhe sua opinião

Receba atualizações diárias sobre o mercado diretamente no seu celular

WhatsApp Suno