Mudanças no comando do IRB (IRBR3): diretora vice-presidente executiva de resseguros deixa o cargo

Mudanças no comando do IRB (IRBR3): diretora vice-presidente executiva de resseguros deixa o cargo
IRB Brasil (IRBR3). Foto Divulgação

A Diretora Vice-Presidente Executiva de Resseguros do IRB Brasil (IRBR3), Isabel Blázquez Solano, deixou o cargo nesta terça-feira (26).

Em fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o IRB explica que agora o cargo será ocupado interinamente pelo Diretor Presidente, Raphael Afonso Godinho de Carvalho, que acumulará as funções.

Carvalho foi eleito como CEO da empresa em meados de setembro e assumiu o cargo em 1º de outubro. Com a chegada de Carvalho, Wilson Toneto, que ocupava interinamente o cargo de CEO do IRB desde março, passou a ser o diretor vice-presidente técnico e de operações.

Também nesta quarta-feira (27), o ressegurador comunicou o fim do mandato de Adriana Queiroz de Carvalho, como integrante do Comitê de Auditoria Estatuário da companhia. O mandato acabou em 19 de outubro deste ano, quando alcançou o prazo máximo de cinco anos permitido pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEP).

Além disso, na última semana, a companhia anunciou seu novo CFO. Em reunião do Conselho de Administração realizada na última terça-feira (18), a resseguradora elegeu Willy Otto Jordan Neto o novo executivo da diretoria do ressegurador.

Willy Jordan também será diretor de Relações com Investidores. Ele assumirá as funções assim que o processo de autorização prévia da Superintendência de Seguros Privados (Susep) for concluído.

A ação do IRB (IRBR3) encerrou o pregão de hoje em queda de 0,21%, cotada a R$ 4,85. No ano, o papel do ressegurador acumula uma queda de 40,71%, frente ao fechamento a R$ 8,18 ao final de dezembro de 2020.

Veja também:

IRB Brasil: ação judicial garante lucro de R$ 84,8 milhões em agosto

O IRB Brasil teve um lucro líquido de R$ 84,8 milhões em agosto deste ano. Segundo o comunicado divulgado pela empresa na manhã desta última quinta-feira (21), o resultado foi impactado positivamente por um efeito não recorrente.

Os números do ressegurador tiveram um efeito positivo one-off de R$ 129,4 milhões, decorrente de registro do ganho de ação judicial referente ao PIS/PASEP. No acumulado de 2021, o IRB Brasil tem um prejuízo de R$ 168,9 milhões, diminuindo as perdas em 77% em comparação ao mesmo período de 2020.

A empresa ressalta, entretanto, que excluídos os efeitos run-off e one-off nos oito primeiros meses de 2021, o resultado líquido negativo é de R$ 36,1 milhões, equivalente a uma melhora de R$ 570,6 milhões em relação ao mesmo período do ano passado.

O prêmio emitido pelo IRB, em agosto, foi de R$ 750,5 milhões, avanço de 7,6% em 12 meses. A operação brasileira contribuiu com R$ 454,7 milhões, enquanto os negócios no exterior registraram R$ 295,8 milhões.

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião