Investimento em que não pode mexer por um ano ou mais: quando vale a pena?

Quando o assunto é investimentos, o termo liquidez é fundamental. Essa é uma característica muito importante que os investidores precisam levar em consideração na hora de montar seu portfólio, uma vez que indica o quão fácil é para transformar as aplicações em dinheiro. 

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/Lead-Magnet-1420x240-2.png

Dessa forma, os investimentos podem ter alta liquidez, como é o caso da poupança, quando o dinheiro pode ser resgatado a qualquer momento. Os investimentos com baixa liquidez são aqueles em que é mais difícil o processo de resgate em dinheiro, como é o caso de imóveis.

Além da liquidez, outro ponto que deve ser observado pelo investidor é o tempo mínimo de aplicação antes do saque dos valores. 

Nesse sentido, existem vários fatores que influenciam na liquidez de um investimento, como por exemplo, a demanda de mercado, os tipos e preços dos ativos. Ainda, existem regras próprias das aplicações financeiras, como rentabilidade e carência, que impactam na capacidade de conversão de um bem em dinheiro. 

Para o analista e professor de finanças André Massaro os investimentos sem liquidez, e que exigem um tempo mínimo de um ano para o resgate, devem ser adquiridos apenas por aqueles que têm total segurança de que não vão precisar do dinheiro antes desse período, pois já tem uma reserva de emergência para os casos de imprevistos. 

“Outra coisa que tem que ser considerada e que também pode valer a pena, é se o retorno daquele investimento for significativamente maior do que o retorno de um investimento equivalente que não fica preso”, disse em entrevista à Suno.

Dito isso, Massaro pontuou os pontos principais dos investimentos, que são segurança, retorno e liquidez.

“As pessoas sempre querem máxima segurança, máximo retorno e máxima liquidez. Se a gente abre mão de uma dessas coisas, a gente tem que compensar em outra. Então, você tem um investimento e fica preso por X anos e ele vai render só um pouquinho a mais do que um investimento que não fica preso, absolutamente isso não faz sentido nenhum”, avaliou. 

Com base nisso, não necessariamente um investimento que só pode ser resgatado depois de um ano ou mais seja ruim.

Por isso, é essencial que, antes de entrar, o investidor entenda sobre o funcionamento do investimento e seus objetivos, para decidir se a aplicação realmente se encaixa ou não no seu planejamento.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/Lead-Magnet-1420x240-1.png

Vantagens de investimentos sem liquidez

A vantagem principal de optar por investimentos sem liquidez, que não permitem o resgate antes de um ano ou mais, é que esse tipo de aplicação costuma oferecer um retorno um pouco maior, comparado aos outros, em razão da previsibilidade por parte de quem toma o dinheiro, conforme destacou Massaro. 

“O fundo de investimento ou um banco que emitiu um título, fica previsível, ou seja, sem correr o risco do investidor resgatar. Quem toma esse dinheiro, e quem quer ter essa previsibilidade, normalmente, paga um prêmio a mais por conta disso”, explicou.

“A vantagem seria ter um retorno maior. Lembrando a história do tripé dos investimentos, que é o retorno, segurança e a liquidez, sempre que a gente abre mão de uma coisa, a gente espera uma compensação em outra coisa. Quer dizer, abriu mão de liquidez, então eu quero mais retorno”, pontuou.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/Ebook-Fundos-Imobiliarios-Desktop-1.jpg

Vanessa Loiola

Compartilhe sua opinião

Receba atualizações diárias sobre o mercado diretamente no seu celular

WhatsApp Suno