Índices futuros de NY e bolsas europeias operam em queda

Os índices futuros de Nova York operam em queda nesta quarta-feira (15). Da mesma forma, as bolsas europeias apresentam baixas após as bolsas asiáticas fecharam com uma leve desvalorização.

Por volta das 8h15, os índices norte-americanos apresentavam queda em seus indicadores, após fecharam em alta na última terça-feira (14). O Dow Jones futuro apresentava uma queda de 1,51%, enquanto o S&P 500 futuro subia 1,67%. Por sua vez, a Nasdaq operava a -1,0%, a 8.606,25 pontos.

Garanta acesso gratuito à eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas com um único cadastro. Clique para saber mais.

Os indicadores acionários dos Estados Unidos estão de olho nos números do avanço do novo coronavírus (Covid-19), os quais se tornaram o novo epicentro da doença. Os dados atuais mostram que o novo vírus ultrapassou 609 mil pessoas contaminadas no território norte-americano, mais de três vezes superior que a Espanha, segundo país mais atingido, enquanto o total de mortes avançou para 26 mil.

Além disso, o mercado está atento a divulgação dos resultados trimestrais das instituições financeiras. Na última terça-feira, J.P. Morgan e Wells Fargo divulgaram seus balanços, enquanto o Bank of America apresentou, nesta quarta-feira, um lucro líquido de US$ 0,40 por ação no primeiro trimestre deste ano.

Na Europa, a exemplo das bolsas de todo o mundo, operam em queda. Por volta das 8h25, o FTSE 100, no Reino Unido, operava em baixa de 2,25%, e o CAC 40, na França, caía 2,40%. O FTSE MIB, bolsa italiana, apresentava uma queda de 2,22%.

Já o DAX 30, na Alemanha, país da maior economia da Europa, caía 2,31%. O Euro Stoxx 50, maior índice acionário da zona do euro, apresentava uma baixa de 2,15%.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2020/11/39af805f-relatorio-ipo-enjoei.png

As bolsas asiáticas também fecharam as negociações em queda. Na China, o principal índice das ações das bolsas, o SSE Composite, de Xangai, terminou o dia com uma queda de 0,57%.

Os índices acionários chineses fecharam em baixa nesta quarta-feira demonstrando como os investidores estão preocupados com uma queda acentuada no crescimento econômico do país. O subíndice do setor financeiro teve uma baixa 0,79%, o de consumo teve apresentou queda de 0,73%, enquanto o setor imobiliário caiu 1,63%, e o subíndice de saúde teve uma retração de 0,84%.

A bolsa do Japão, Nikkei 225, caiu 0,45%. A bolsa de Hong Kong registrou -1,19%. Já KOSPI, bolsa da Coreia do Sul, encerrou o pregão de forma estável, com uma variação de 0%, a 1.857,08 pontos.

O Petróleo WTI recuava 2,09%, sendo negociado a US$ 19,68 o barril. Por sua vez, o Petróleo Brent caía 4,12%, a US$ 28,38 o barril, após a Agência Internacional de Energia afirmar que a demanda pela commodity deve cair 9% neste ano devido à pandemia.

Entre os índices que medem a volatilidade dos mercados, o S&P 500 VIX, conhecido como “índice do medo”, opera em alta de 5,44%, a 34,77 pontos. Devido às incertezas geradas pelo coronavírus, o VIX chegou a bater sua máxima histórica em meados de maio.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião