IFIX sobe 0,25%, a 2.833 pontos; CARE11 lidera altas, enquanto DEVA11 e RECR11 recuam

O IFIX, principal índice de fundos imobiliários da bolsa de valores brasileira (B3), encerrou o pregão de hoje (10) em alta de 0,25%, aos quase 2.833 pontos.

Conheça as vantagens dos fundos imobiliários!

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/Lead-Magnet-1420x240-2.png

A cotação do IFIX atingiu sua máxima aos 2.834 pontos, enquanto a mínima foi de 2.826 pontos, mesmo valor de abertura. Um dos destaques de alta foi o fundo imobiliário Brazilian Graveyard and Death Care (CARE11), com uma valorização de 4,68%, liderando os ganhos da sessão.

Em seguida, despontou o FII RBR Properties (RBRP11), com uma alta de 3,32%. Já o fundo imobiliário Kinea (KFOF11) teve uma valorização de 3,15%.

Entre as maiores altas do IFIX hoje também se encontra o fundo Hedge Top FOFII 3 (HFOF11), que subiu 3,15%, enquanto as cotas do Hedge Brasil Shopping (HGBS11) avançaram 2,79%.

Entre as quedas, se destacou o fundo imobiliário VBI CRI (CVBI11), que recuou 2,65%. O FII Devant Recebíveis Imobiliários (DEVA11) teve uma baixa de 2,11%, enquanto o Tordesilhas EI (TORD11) registrou uma desvalorização de 2,06%.

O fundo REC Recebíveis Imobiliários (RECR11) recuou 1,98%, e o Valora CRI Índice de Preço (VGIP11) também teve uma queda de 1,98%.

Maiores altas do IFIX

Os 5 primeiros colocados entre as altas da sessão foram:

  • CARE11: +4,68%
  • RBRP11: +3,32%
  • KFOF11: +3,15%
  • HFOF11: +3,15%
  • HGBS11: +2,79%

Maiores baixas do IFIX

Enquanto isso, as 5 maiores desvalorizações do dia foram:

  • CVBI11: -2,65%
  • DEVA11: -2,11%
  • TORD11: -2,06%
  • RECR11: -1,98%
  • VGIP11: -1,98%

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/Lead-Magnet-1420x240-1.png

XPPR11 formaliza entrega do SPA FLP e recebe 100% das ações da REC 2017

Além do valor do IFIX hoje, outro destaque do setor imobiliário é o fundo XPPR11, que comunicou nesta terça-feira (10) a finalização da assinatura do termo de fechamento com o fundo de investimento em participações multiestratégia, HSI V Real Estate, que formaliza a entrega jurídica do SPA FLP.

Com isso, o FII XPPR11 diz que ocorre a transmissão para o fundo da titularidade de 100% das ações da REC 2017, que é titular de 40% das frações ideais do Edifício Faria Lima Plaza. O imóvel está com suas obras concluídas e conta com uma área BOMA total de 41.463,63 metros quadrados.

Segundo informações divulgados no dia 17 de junho de 2021, a REC 2017 emitiu e liquidou o CRI REC 2017 no dia anterior, no montante de R$ 150 milhões. O valor foi corrigido pela variação acumulada do IPCA/IBGE, com o acréscimo de uma sobretaxa correspondente a 5,50%  ao ano.

Dessa forma, o XPPR11 comunica que o saldo devedor atual é de cerca de R$ 179,27 milhões. O CRI REC 2017 também prevê uma carência de amortização, juros remuneratórios e outros encargos financeiros nos primeiros 36 meses, assim como prazo de 5 anos contados a partir da data de liquidação.

O fundo imobiliário XPPR11 também faz parte do IFIX, com uma participação de 0,302% no índice.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Redação Suno Notícias

Compartilhe sua opinião

Receba atualizações diárias sobre o mercado diretamente no seu celular

WhatsApp Suno