AGENDA

Ibovespa: Telefônica Vivo (VIVT3) e Suzano (SUZB3) lideram altas da semana

Ibovespa: Telefônica Vivo (VIVT3) e Suzano (SUZB3) lideram altas da semana
Telefônica Brasil Vivo. Foto: Reprodução Facebook

Esta não foi uma semana de bonanças para o Ibovespa, que atingiu a mínima do ano, na casa dos 102 mil pontos. O principal índice da Bolsa brasileira caiu 3,1% no período, indo de 106.336 para 103.035 pontos no fechamento do último pregão.

Com a semana inteira apresentando resultados negativos, foi só no último dia que o Ibovespa apresentou algum fôlego, apesar de pouco expressivo. O índice quebrou a sequência de perdas e anotou alta de 0,59% na última sexta-feira (19), empurrado por ações da Vale (VALE3) e de siderúrgicas.

Mesmo com a péssima semana, algumas ações foram sobreviventes e apresentaram crescimento. Confira o salto dos ativos que lideraram as maiores altas do Ibovespa entre segunda (15) e sexta-feira (19):

1- Votação do STF impulsiona ações da Telefônica Vivo

A ação da Vivo disparou no último pregão da semana, após o Supremo Tribunal Federal (STF) formar maioria pela redução da alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para o setor de telecomunicações.

O julgamento acontece em razão de processo aberto em Santa Catarina, onde o Estado cobra 25% de ICMS sobre o segmento, e 17% sobre empresas prestadoras de serviços essenciais. A redução pretende enquadrar o setor no mesmo patamar dos serviços essenciais.

De acordo com a Ativa Research, a notícia é positiva para as ações do setor de telecomunicações. “Ainda que as empresas não consigam capturar tudo isso como ganho de margem, já que redução de preços deve aumentar a demanda pelos serviços ofertados,” avaliou a corretora.

A votação no STF deve terminar na próxima segunda-feira (22), mas a notícia já foi o suficiente para as ações da Vivo subirem de R$ 49,28 para R$ 53,00.

2- Suzano se destaca no Ibovespa

Não houve notícias específicas que influenciaram na precificação das ações da Suzano, que foi de R$ 51,37 para R$ 53,58.

O mercado reage a expectativa de aumento de demanda na exportação de papel e celulose. A Suzano vem tendo um desempenho misto recentemente, tendo registrado prejuízo de R$ 959 milhões no terceiro trimestre deste ano, invertendo o lucro líquido de R$ 10,037 bilhões registrado no trimestre anterior.

Comparado ao mesmo período de 2020, no entanto, houve uma queda de 17% no prejuízo, que chegou a R$ 1,158 bilhão na época.

3- Localiza tem potencial de valorização

A Localiza vem se aproveitando não só do saldo positivo deixado pelo balanço do terceiro trimestre, que anotou lucro líquido de R$ 671,4 milhões, mais que o dobro em relação ao mesmo período do ano anterior, como também surfa na tendência de crescimento das empresas do setor.

A companhia oferece serviço de aluguéis de automóveis que, mesmo com o aumento no preço dos combustíveis e da falta de carros novos nas concessionárias, ainda apresenta boas perspectivas. O otimismo é refletido pela cobertura  da XP Investimentos.

A XP atualizou, nesta quarta-feira (17), sua cobertura do setor de aluguel de carros no Brasil com recomendações de compra para a Localiza, Movida (MOVI3) e Unidas. A análise atribuiu preço-alvo de R$ 68 por ação da Localiza (RENT3), o que representa uma valorização potencial de 32%.

Além disso, os analistas acreditam que “a atual crise de escassez no fornecimento de automóveis criou uma oportunidade de valuation no setor, já que os múltiplos atuais são negociados abaixo da média histórica mais recente e esperamos que os spreads de ROIC persistam.”

A ação da Localiza foi de R$ 51,64 para R$ 53,82.

4- Unidas surfa na tendência do setor

Pegando carona no mesmo viés que a Localiza, as ações da Unidas foram de R$ 23,10 para R$ 23,95. No mesmo relatório da XP citado anteriormente, a Unidas teve o preço-alvo definido em R$ 36, uma valorização potencial de 56%.

Em relatório assinado por Pedro Bruno, Gabriela Ferrante e Lucas Laghi, a XP explica que a atualização ocorre após “resultados recentes positivos”.

“Depois de incorporar fortes resultados recentes, estamos aumentando as nossas estimativas operacionais para o médio e longo prazo, com EBITDA mais alto em 9,30% para a Localiza e Unidas e 66% maior para a Movida em 2023″, apontam os analistas.

A Unidas lucrou R$ 106,1 milhões no terceiro trimestre, um salto de 164,5%, enquanto sua receita ao final de setembro somou R$ 860 milhões, queda de 27,1%.

5- Alpargatas finaliza altas do Ibovespa

Sem nenhuma notícia específica de impacto para essa empresa, as ações da Alpargatas cresceram de R$ 41,79 para R$ 43,05 nesta semana.

A empresa divulgou recentemente seu balanço do terceiro trimestre, e o resultado foi positivo. A fabricante de sapatos registrou lucro líquido recorrente de R$ 155,5 milhões no 3T21, alta de 34,1% na comparação anual. O destaque ficou para as vendas internacionais de Havaianas, que cresceram 23% no período de julho a setembro, apoiadas na alta do dólar.

Além disso, anunciou o pagamento de R$ 136,98 milhões em dividendos e R$ 13,017 milhões em juros sobre capital próprio (JCP) aos seus acionistas, que foram pagos nesta sexta (19).  Os valores dos dividendos foram de R$ 0,2257 por ação ordinária (ALPA3) e R$ 0,2483 por ação preferencial (ALPA4). Já os valores de JCP foram de R$0,0214 por ação ordinária e R$ 0,0235 por ação preferencial.

Última cotação do Ibovespa

Ibovespa registrou alta de 0,6% na sexta-feira (19) e fechou aos 103.035,02 pontos.

Bruno Galvão

Compartilhe sua opinião

Comece 2022 investindo nos melhores Fundos Imobiliários

Baixar agora!