Ibovespa pós-Copom desaba aos 118 mil pontos, com tombo de Vale (VALE3), Petrobras (PETR4) e bancos

O Ibovespa encerrou a sessão de hoje (22) em queda de 1,23%, aos 118.934,20 pontos. A mínima do dia foi de 118.018,03 pontos, enquanto a máxima tinha sido de 120.419,87 pontos, com volume financeiro de R$ 23,2 bilhões.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/1420x240-Banner-Home.png

A incerteza em torno dos próximos passos da política monetária no mundo e no Brasil levou o Ibovespa à baixa. Profissionais do mercado atribuem o movimento a uma realização dos lucros acumulados diante de um cenário de maior cautela, um dia após a referência da B3 ter conseguido sustentar a marca dos 120 mil pontos no fechamento pela primeira vez em 14 meses.

Esse movimento reflete um ajuste das expectativas de investidores para a trajetória da taxa Selic após o comunicado do Copom da véspera ter sido lido como mais duro do que o esperado. Nesta quarta-feira, 21, o comitê manteve a taxa Selic em 13,75% e optou por não sinalizar explicitamente quando deverá começar o afrouxamento monetário, enquanto a maior parte do mercado esperava cortes em agosto.

“Talvez o mercado estivesse um pouco otimista demais com a possibilidade de uma mudança brusca de direção do BC, que obviamente não viria, e por isso hoje estamos vendo empresas ligadas aos juros devolvendo boa parte dos ganhos”, diz o analista da Empiricus Research João Piccioni. “É aquela história: são ações que sobem com o boato e realizam com o fato.”

Vale (VALE3) e Petrobras (PETR4) estão entre as baixas do pregão de hoje, assim como os bancos, que reagiram de forma negativa ao comunicado emitido pelo Copom, que não deu sinais claros sobre um eventual corte da Selic na próxima reunião, a ser realizada em agosto de 2023.

  • Bradesco PN (BBDC4): -2,78%;
  • Bradesco ON (BBDC3): -1,87%;
  • Banco do Brasil (BBAS3): -1,73%;
  • Santander (SANB11): -1,88%;
  • Itaú (ITUB4): -0,90

No exterior, o presidente do Fed afirmou que mais aumentos de juros podem acontecer no intuito de controlar a inflação, reforçando a preocupação sobre o aperto monetário e deixando o clima nos mercados mais pessimista. Porém, as bolsas dos EUA fecharam sem direção definida.

  • Dow Jones: -0,01%, aos 33.946,77 pontos;
  • S&P500: +0,37%, aos 4.381,84 pontos;
  • Nasdaq: +0,95%, aos 13.630,61 pontos.

Enquanto isso, o preço do dólar à vista registrou alta de 0,09%, cotado a R$ 4,7723, chegando a registrar a máxima de R$ 4,7877.

As bolsas europeias, por sua vez, também encerraram em queda depois que o Banco da Inglaterra elevou os juros em 0,5%, com alta acima do esperado, o que acabou pegando os mercados de surpresa. Já o dólar também avançou hoje e acompanhou a alta lá fora.

O que movimentou o Ibovespa hoje?

Segundo Fabio Louzada, economista, analista CNPI e fundador da Eu me banco, o Ibovespa hoje caiu em dia de correção depois de diversas altas consecutivas no mês de junho e após a divulgação do comunicado do Copom.

O comunicado do Copom, do Banco Central, frustrou o mercado ontem (21), que aguardava alguma sinalização sobre uma possível baixa da taxa Selic em agosto, o que não acabou acontecendo.

“Com isso, podemos esperar por um possível início de queda de juros a partir de setembro. O comunicado veio mais duro que o esperado e colabora para as quedas de empresas dos setores de varejo e construção, que são fortemente impactadas pelos juros altos”, explica Louzada.

Entre as principais quedas do Ibovespa hoje, estavam ações de Magazine Luiza (MGLU3), Via (VIIA3), Marisa (AMAR3) e EzTec (EZTC3), por exemplo.

Além disso, Petrobras (PETR4) e Vale (VALE3) “ajudaram” a impulsionar o Ibovespa para baixo hoje. A petroleira acompanhou a queda do petróleo no exterior, assim como os papéis da Prio (PRIO3) e 3R Petroleum (RRRP3).

Enquanto isso, as ações da Vale continuaram sua trajetória de queda desses últimos dias, depois de grandes bancos lá fora cortarem as projeções do Produto Interno Bruto (PIB) da China em 2023, deixando os investidores preocupados com a recuperação econômica do país.

Outra ação de destaque entre as quedas do Ibovespa hoje foi a Minerva (BEEF3). A notícia sobre a condenação da empresa a pagar mais de R$ 1,3 milhão por supostos maus tratos a animais em 2018 prejudicou fortemente o desempenho de seus papéis.

As ações da Minerva também passaram por um movimento de correção, já que o papel já registrava valorização havia dias. O IRB (IRBR3) também esteve entre as principais quedas do dia, depois da divulgação de dados de abril da empresa. A companhia também foi outra prejudicada com a manutenção de juros.

BB Seguridade (BBSE3) despontou entre as altas, depois de o Goldman Sachs comentar que a empresa continua construtiva com as perspectivas competitivas para o seguro rural e pensões, com tendências melhores.

Maiores altas e baixas hoje

Última cotação do Ibovespa

O Ibovespa terminou ontem (21) em alta de 0,67%, aos 120.420,26 pontos.

(Com Estadão Conteúdo)

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/12/Ebook-Acoes-Desktop.webp

João Vitor Jacintho

Compartilhe sua opinião

Receba atualizações diárias sobre o mercado diretamente no seu celular

WhatsApp Suno