DIVIDENDOS

Ibovespa cai pressionado por blue chips e exterior; Magazine Luiza (MGLU3) recua 2%

Ibovespa cai pressionado por blue chips e exterior; Magazine Luiza (MGLU3) recua 2%
Ibovespa. Foto: Pixabay

O Ibovespa engatou a ré depois do pregão passado e terminou esta terça-feira (14) em queda de 0,19%, atingindo 116.180,55 pontos, pressionado por blue chips e pelo exterior negativo.

A Bolsa brasileira acompanhou as falas do presidente da Câmara dos Deputados Arthur Lira (PP-AL) sobre o peso dos preços da Petrobras (PETR4) “no bolso de todos nós”. O Ibovespa refletiu ainda a afirmação do presidente do Banco Central (BC) Roberto Campos Neto de que “não vai alterar o plano de voo a cada número novo de alta frequência que saia”.

Segundo João Beck, economista e sócio da BRA, o mercado entendeu como uma sinalização de uma nova alta na próxima reunião da mesma magnitude. “O ‘dado de alta frequência’ é a última divulgação de IPCA bem acima do esperado. Assim Roberto Campos Neto passa a mensagem de que não vai colocar tanto peso nesse indicador,” avaliou.

Na visão do economista, os investidores devem acompanhar a evolução da crise hídrica nas próximas semanas, que significa “maior risco para os mercados” e pode elevar a inflação no País e desacelerar o crescimento.

Movimentação do Ibovespa hoje

As perspectivas de juros mais elevados pesaram especialmente sobre as ações do Magazine Luiza (MGLU3), que chegaram a liderar as maiores quedas do Ibovespa após um relatório desanimador do Goldman Sachs (GSGI34).

A CVC (CVCB3) registrou desvalorização ainda maior. A companhia de turismo afundou, ao lado das aéreas Azul (AZUL4) e Gol (GOLL4), em movimento de correção. Os papéis também foram pressionados pelo retorno da preocupação com a variante Delta no exterior.

A sessão foi positiva para ações do setor de tecnologia. A ação do Méliuz (CASH3) disparou nesta terça-feira, seguida pelo papel da Locaweb (LWSA3).

Ibovespa fecha em baixa de 0,2%, pressionado por blue chips e exterior; Magazine Luiza (MGLU3) cai 2%
Ibovespa hoje. Foto: Reprodução Status Invest

Maiores altas do Ibovespa 

As maiores altas do Ibovespa no dia de hoje foram:

Maiores baixas do Ibovespa 

As maiores baixas do Ibovespa no dia de hoje foram:

Notícias que movimentaram a bolsa de valores 

  • Petrobras não repassa volatilidade momentânea
  • BC tem plano de longo prazo
  • Magazine Luiza tem revés na Bolsa

Petrobras atua para não repassar a volatilidade momentânea de preços

O presidente da Petrobras, general da reserva Joaquim Silva e Luna, defendeu hoje a atuação na empresa na política de preço de combustíveis. Durante debate no plenário da Câmara dos Deputados, Silva e Luna disse que a empresa atua para não repassar a “volatilidade momentânea” dos preços internacionais do petróleo para o valor dos combustíveis no Brasil.

Segundo o presidente da empresa, durante o processo de reajuste nos combustíveis, a Petrobras verifica se o aumento se deve a questões estruturais, de longo prazo, ou conjunturais, de curto prazo.

“O que é conjuntural, ela absorve e procura entender ao máximo possível essa lógica de mercado”, disse Silva e Luna durante comissão geral da Câmara para debater o preço dos combustíveis das usinas termelétricas.

Banco Central tem plano de longo prazo, reforça Campos Neto

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, compareceu esta terça-feira ao evento realizado pelo BTG Pactual (BPAC11), o MacroDay 2021, no qual afirmou que, mesmo em meio ao processo de alta de juros, “temos um plano de voo que olhamos em um horizonte mais longo.

Questionado se a comunicação do BC de que fará o necessário para a convergência à meta se refere ao ciclo ou ao ritmo de alta de juros, Campos Neto respondeu que a autarquia entende que pode levar a taxa Selic aonde for preciso para atingir tal objetivo.

“Não significa que o BC vai mudar plano de voo a cada dado de alta frequência”, disse ele, reconhecendo dados piores na ponta, com a inflação mais disseminada.

Magazine Luiza (MGLU3) se explica após tombo das ações

O Magazine Luiza (MGLU3) divulgou comunicado sobre possíveis motivos para as recentes quedas e chamou analistas para uma teleconferência. No evento online, o Magazine Luiza passou uma mensagem otimista, destacando que os seus planos de crescimento seguem no caminho certo, apesar dos desafios vividos em agosto.

Segundo o Bradesco BBI, a empresa reiterou que este mês foi um dos mais difíceis na comparação com 2020. Os analistas disseram que o ajuste ocorrido na sexta-feira pareceu exagerado. No entanto, as preocupações permanecem, principalmente em relação ao aumento da inflação no país e ao acirramento da concorrência. O BBI reduziu o preço-alvo das ações MGLU3 de R$ 27,00 para R$ 25,00 e reiterou recomendação neutra.

Para o Goldman Sachs, o horizonte é desafiador para o Magazine Luiza no curto prazo. Em relatório divulgado nesta terça-feira (13), o banco destaca que a comparação anual no balanço de terceiro trimestre deve ser acirrada. O banco tem recomendação de compra para Magazine Luiza, com preço-alvo em R$ 25.

Desempenho dos principais índices 

Além do Ibovespa, confira o fechamento dos principais índices da bolsa hoje:

  • Ibovespa hoje: -0,19% / 116.180,55
  • IFIX hoje: +0,03% / 2.728,31
  • IBRX hoje: -0,23% / 49.764,24
  • SMLL hoje: +0,24% / 2.808,92
  • IDIV hoje: +0,02% / 6.637,61

Última cotação do Ibovespa

No fechamento do pregão de segunda (13), o Ibovespa subiu 1,85%, a 116.403 pontos.

Arthur Guimarães

Compartilhe sua opinião

Receba os destaques que irão movimentar o cenário econômico antes da abertura do mercado.

Inscreva-se