Hapvida (HAPV3) desiste de adquirir Grupo Santa Filomena, mas finaliza compra do Promed

Hapvida (HAPV3) desiste de adquirir Grupo Santa Filomena, mas finaliza compra do Promed
Hapvida Foto: divulgação

A Hapvida (HAPV3) desistiu de adquirir o Grupo Santa Filomena, de acordo com comunicado publicado nesta quinta-feira (20). O contrato de compra e venda havia sido fechado em setembro do ano passado.

   

“Diante da impossibilidade da conclusão de todas as condições precedentes previstas na proposta dentro do prazo, restou cancelar a operação de aquisição do Grupo Santa Filomena, composto por uma carteira de cerca de 6 mil beneficiários de planos de saúde concentrados na região de Rio Claro (SP) e pelo Hospital Santa Filomena”, informou a Hapivda.

A compra do Grupo Santa Filomena fora fechada por R$ 45 milhões – segundo a companhia, a movimentação seguia a sua estratégia de crescimento e de ganho de market share.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Vídeo Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Na época, a Hapvida já havia informado que a transação estava sujeita a negociação bem-sucedida dos instrumentos contratuais de aquisição, dos quais não deu mais detalhes, e à aprovação de órgãos reguladores.

Hapvida finaliza compra do Grupo Promed

Por outro lado, a Hapvida anunciou também nesta quinta-feira que encerrou a compra do Grupo Promed, que atua na região metropolitana de Belo Horizonte (MG).

“O Grupo Promed composto de dois hospitais, incluindo o Hospital Vera Cruz, com um total de 240leitosde internação, além de 7 clínicas de atendimento primário e três operadoras de saúde que, combinadas, possuem uma carteira total de cerca de 280 mil beneficiários”, explica o documento.  São mais de dois milhões de beneficiários em planos de assistência médica e um milhão em assistência odontológica.

“Com a conclusão dessa operação, a Companhia amplia sua estratégia de crescimento por meio de uma plataforma que possibilita uma operação verticalizada e integrada numa das principais praças de atuação do Brasil”, diz a nota.

A Hapvida gastou R$ 1,5 bilhão na transação, feita também em setembro do ano passado.

Vitor Azevedo

Compartilhe sua opinião

Receba os destaques que irão movimentar o cenário econômico antes da abertura do mercado.

Inscreva-se