Grendene (GRND3): Fábricas no Ceará voltam a funcionar parcialmente

Grendene (GRND3): Fábricas no Ceará voltam a funcionar parcialmente
Grendene (divulgação)

A Grendene (GRND3) começa a retomar suas operações em fábricas localizadas no Ceará, a partir desta segunda-feira (1), após um período de paralisação por conta da pandemia de coronavírus (Covid-19). A companhia, entretanto, informou que o retorno é parcial.

A gigante do setor de calçados volta com uma redução de 70% na jornada de trabalho e no salário dos colaboradores. A medida foi tomada depois que a Grendene entrou em um acordo com os sindicatos dos trabalhadores de Sobral, Crato e Fortaleza.

Nas fábricas de Crato e Fortaleza, apenas 20% dos colaboradores poderão atuar ao mesmo tempo presencialmente.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Os empregados da Grendene da unidade de Sobral estão dispensados até o dia o próximo domingo (7). Assim, retornarão ao trabalho na segunda-feira (8).

Resultado da Grendene no primeiro trimestre de 2020

A Grendene registrou lucro líquido de R$ 29,7 milhões no primeiro trimestre deste ano. Este valor é equivalente a uma queda de 61,1% em comparação ao mesmo período do ano anterior.

O lucro bruto totalizou R$ 153,3 milhões, queda de 12,1% em relação com janeiro a março de 2019. A receita líquida da Grendene contabilizou R$ 372,2 milhões, baixa de 12,1%.O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) teve queda de 21% e ficou em R$ 60,8 milhões.

Veja também: Iguatemi (IGTA3) anuncia reabertura de shoppings no interior paulista

“Com o agravamento da doença e o isolamento social imposto, deixamos de faturar nos últimos dias de março, período em que se concentra a maior parcela do nosso faturamento mensal”, comunicou a Grendene. A despesa operacional da empresa teve queda de 18,2% na comparação ano a ano, para R$ 113,5 milhões.

 

Juliano Passaro

Compartilhe sua opinião