Grendene (GRND3) adia, novamente, reabertura parcial de fábricas

Grendene (GRND3) adia, novamente, reabertura parcial de fábricas
Grendene (divulgação)

A Grendene (GRND3) informou nessa quinta-feira (21) que adiará, mais uma vez, para o dia 1 de junho a retomada parcial das atividades em suas fábricas em Fortaleza, Crato e Sobral, no Ceará, após o governo do estado publicar um decreto estendendo as medidas restritivas para combater o novo coronavírus (Covid-19). 

As atividades da Grendene foram paralisadas por causa da pandemia de coronavírus. Entretanto, o plano inicial da companhia era retomar as atividades no final de abril, como não foi possível, a fabricante de calçados teve que postergar a volta de seus funcionários para o dia 25 de maio e agora adiou mais uma vez.

Além disso, a companhia salientou que a retomada das atividades ocorrerá gradualmente, ao passo que seus funcionários terão uma redução de 70% na carga horária, bem como no salário.

Garanta acesso gratuito à eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas com um único cadastro. Clique para saber mais.

A empresa ainda indicou que usará o banco de horas dos empregados para dispensá-los entre os dias 25 a 31 de maio.

Resultados da Grendene no 1T20

A companhia registrou lucro líquido de R$ 29,7 milhões no primeiro trimestre de 2020. Esse valor é equivalente a uma queda de 61,1% em comparação com o mesmo período no ano anterior.

Por sua vez, o lucro bruto totalizou R$ 153,3 milhões, representando uma  queda de 12,1% em relação com janeiro a março de 2019. A receita líquida da fabricante de calçados contabilizou R$ 372,2 milhões, baixa de 12,1%.O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) teve queda de 21% e ficou em R$ 60,8 milhões.

Veja também: Grendene concede férias coletivas por causa da pandemia de coronavírus

“Com o agravamento da doença e o isolamento social imposto, deixamos de faturar nos últimos dias de março, período em que se concentra a maior parcela do nosso faturamento mensal”, informou a Grendene no relatório. A despesa operacional registrou queda de 18,2%, para R$ 113,5 milhões.

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião