GPA (PCAR3): prejuízo cai 72,5% no 4T23, para R$ 303 milhões; confira o balanço do Pão de Açúcar

O GPA (PCAR3), empresa que controla o Pão de Açúcar, apresentou um prejuízo líquido de R$ 303 milhões no quarto trimestre de 2023, conforme balanço trimestral divulgado na noite desta quarta-feira (21).

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240-Banner-Home-2-1.png

Quando comparado ao mesmo período do ano anterior, ou seja, quarto trimestre de 2022, o resultado do GPA mostra uma redução de 72,5% no prejuízo líquido, visto que as perdas da empresa um ano antes foram de R$ 1,102 bilhão.

O prejuízo líquido continuado foi de R$ 87 milhões no quarto trimestre do ano passado, frente a um prejuízo de R$ 272 milhões no mesmo período de 2022.

O balanço do GPA diz que a diminuição desse prejuízo continuado é atribuída à “melhora do Ebtida ajustado e das outras receitas e despesas operacionais”.

O prejuízo líquido descontinuado foi de R$ 216 milhões, que se deve principalmente ao impacto do provisionamento para as contingências trabalhistas do Extra Hiper e ao fim do contrato para aquisição de energia elétrica no mercado livre, relativo à energia contratada de forma excedente, atrelada a atividades descontinuadas.

A receita líquida do 4T23 foi de R$ 5,257 bilhões, correspondente a um crescimento de 7,3% na comparação com igual etapa de 2022.

O lucro bruto do GPA atingiu R$ 1,349 bilhão no quarto trimestre de 2023, apresentando alta anual de 21,9%. Já a margem bruta avançou 3,1 pontos percentuais (p.p.), passando de 22,6% no 4T22 para 25,7% no 4T23.

Conforme aponta o balanço trimestral do GPA, as despesas com vendas, gerais e administrativas somaram R$ 988 milhões no quarto trimestre de 2023, cerca de 15,9% superiores aos R$ 852 milhões registrados no mesmo período do ano anterior.

Outros resultados do GPA

O resultado financeiro líquido da empresa apresentou um prejuízo de R$ 52 milhões no 4T23, revertendo o lucro de R$ 38 milhões registrado um ano antes.

O Ebtida ajustado do GPA foi de R$ 404 milhões, com alta de 39% sobre o 4T22. Já a margem Ebtida ajustado alcançou 7,7%, cerca de 0,7 ponto percentual maior que a do trimestre imediatamente anterior e 1,8 ponto percentual mais alto na comparação anual. Segundo o balanço, isso se deu “em consonância com o processo de turnaround da companhia”.

A dívida líquida do GPA caiu para R$ 721 milhões no último trimestre de 2023, em razão de um fluxo de caixa livre operacional de R$ 981 milhões, e também pela venda de R$ 113 milhões em ativos não core. Por outro lado, isso foi contrabalanceado por um consumo de caixa de R$ 200 milhões e por R$ 174 milhões de custo financeiro líquido.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240_TEXTO_CTA_A_V10.jpg

João Vitor Jacintho

Compartilhe sua opinião