Patrocinado por:

Governo de SP avança em fase de transição e confirma reabertura de bares, restaurantes e academias

Governo de SP avança em fase de transição e confirma reabertura de bares, restaurantes e academias
Foto: Governo do Estado de São Paulo

Como noticiado na última semana, o governo do estado de São Paulo anunciou em coletiva nesta sexta-feira (23) que dará continuidade à flexibilização das restrições do Plano SP, na chamada fase de transição, com a abertura de bares, restaurantes e academias.

Desde domingo passado (18), quando a fase vermelha deu lugar à fase de transição, estão liberados na região o funcionamento do comércio, a abertura de parques e praias e realização de atividades esportivas e religiosas.

Agora, com o avanço da fase de transição, além das aberturas já mencionadas, podem voltar a funcionar também salões de beleza e centros e de lazer. Todos, com exceção de parques e praias, devem, porém, manter uma ocupação máxima de 25% dos locais disponíveis.

Restaurantes e bares poderão funcionar das 11h às 19h. Parques e praias podem ficar abertos das 6h às 18h. Academias podem operar das 7h às 11 e das 15h às 19h.

Fase de transição em São Paulo mantém toque de recolher

As novas alterações da fase de transição não alteram o toque de recolher, que continua em vigor das 20h às 5h. O governo manteve também a recomendação da manutenção do home office para atividades administrativas não essenciais.

A queda nas restrições vem em meio a uma queda na taxa de ocupação das UTIs no estado – na última quarta-feira, o governo divulgou que 81,8% dos leitos da região estavam ocupados. Hoje, o número caiu para 81,1%. O número de internados na UTI saiu de 11.009 para 10.808.

Apesar da queda no número de internados, a média móvel de mortes na região se mantém estável há quase três semanas, bem como a de casos. Para muitos especialistas, isso aponta que São Paulo ainda enfrenta um grave problema de saúde pública e que a flexibilização das restrições, com a fase de transição, pode voltar a ser um problema.

Vitor Azevedo

Compartilhe sua opinião