Gol (GOLL4): ações tombam no Ibovespa nesta segunda-feira; saiba por quê

As ações da Gol (GOLL4) despencaram nesta segunda-feira (4) no Ibovespa, liderando as quedas do índice, com o mercado repercutindo a notícia de que a aérea contratou a Seabury Capital para auxiliar a empresa em uma “ampla revisão” de sua estrutura de capital.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-1.png

No fechamento, as ações preferenciais de Gol (GOLL4) caíram 8,52%, cotadas a R$ 8,36. O Ibovespa fechou em queda de 1,08%, aos 126.802,79 pontos.

Cotação GOLL4

Gráfico gerado em: 04/12/2023
1 Dia

Na última sexta-feira (4), a Gol anunciou que contratou a Seabury Capital para auxiliar a empresa “em uma ampla revisão de sua estrutura de capital, que inclui a gestão de passivos, transações financeiras e outras medidas para melhorar a liquidez da companhia aérea, ao mesmo tempo em que ajusta a frota de curto e médio prazo, assim como outras obrigações financeiras”.

A Gol informou ainda que, “como parte desse contrato, a Seabury, trabalhando em conjunto com a Skyworks, prosseguirá com as negociações em andamento com seus arrendadores de aeronaves com o objetivo de alcançar uma reestruturação consensual abrangente das obrigações da frota da companhia”.

Em relatório, o Goldman Sachs (GSGI34) afirmou que, embora não tenha uma opinião sobre o resultado potencial dessas renegociações, acredita que esse anúncio poderá ser o primeiro passo para uma ampla reorganização das obrigações com os arrendadores e outros fornecedores, o que poderia potencialmente aliviar a pressão sobre o balanço no curto prazo.

“Para referência, a Gol reportou liquidez no resultado do 3T23 de R$ 994 milhões (incluindo caixa, investimentos de curto prazo, caixa restrito), que se compara à dívida de curto prazo (empréstimos e financiamentos correntes) de R$ 1,2 bilhão”, apontaram os analistas Bruno Amorin, João Frizo e Guilherme Martins.

Também em relatório divulgado pelo Estadão, os analistas Stephen Trent, Jay Singh e Filipe Nielsen, do Citi, pontuaram que “este anúncio também parece aprofundar o que já parece ser uma trajetória de difícil compreensão para os acionistas minoritários da Gol”.

Eles mencionam que, no final de setembro, o caixa e equivalentes da empresa eram de R$ 905 milhões, contra R$ 3 bilhões de empréstimos para o curto prazo.

O Citi tem recomendação de venda, sinalizando alto risco, para a aérea, com preço-alvo a US$ 3 para a ação da Gol negociada em Nova York.

“O mercado entendeu que a Gol ainda enfrenta desafios relevantes. É um cenário complicado à frente para a companhia que já vinha numa toada difícil”, destacou Fábio Lemos, sócio da Fatorial Investimentos.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-2-1.png

Gol (GOLL4) diminui prejuízo no 3T23, para R$ 1,3 bilhão

A Gol teve um prejuízo de R$ 1,3 bilhão no acumulado do terceiro trimestre de 2023 (3T23), conforme balanço divulgado no início do mês passado.

Com isso, a Gol diminuiu em 16% o prejuízo de R$ 1,5 bilhão registrado no mesmo período do ano anterior.

O lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda) recorrente da Gol foi de R$ 1,25 bilhão no 3T23, ante R$ 695,2 milhões registrados no mesmo período de 2022 (aumento de 79,8%).

receita operacional líquida da Gol no 2T23 foi de R$ 4,665 bilhões, sendo 16,4% superior a igual etapa do ano anterior.

Além disso, a Gol encerrou o período com uma alavancagem líquida de 4,0x (5,5 vezes em 7 vezes arrendamento e 3,2 vezes excluindo o SSN, ou Senior Secured Notes, com vencimento em 2028), 1,0x inferior ao 2T23 e 4,2 vezes menor em comparação ao 3T22.

fluxo de caixa das atividades operacionais da Gol foi de R$ 900 milhões entre os meses de julho e setembro deste ano, enquanto o yield cresceu 4,5% em relação ao 3T22 devido ao aumento de produtividade e à otimização da gestão de inventário.

Projeções financeiras para 2023

A Gol (GOLL4) atualizou suas projeções financeiras para o ano de 2023 de forma a refletir os resultados atingidos nos nove primeiros meses do ano.

Para 2023, a companhia prevê que a oferta de voos avance de 10% a 15%, a frota operacional média entre 110 a 114 aeronaves, e que a taxa de ocupação média dos aviões fique em cerca de 82%.

A empresa ainda revisou a previsão da receita líquida total para este ano, de R$ 19,3 bilhões para R$ 19,0 bilhões, e a margem Ebitda de 24% ante estimativa anterior de 25%.

Gol manteve também a expectativa de alavancagem, medida pela dívida líquida em relação ao Ebitda, em torno de 4x.

oll

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/1420x240-Controle-de-Investimentos.png

Giovanni Porfírio Jacomino

Compartilhe sua opinião