Semana do Fiagro

GetNinjas (NINJ3): Após queda de 70% na Bolsa, CEO fala em crescimento e novos produtos

GetNinjas (NINJ3): Após queda de 70% na Bolsa, CEO fala em crescimento e novos produtos
Eduardo L'Hotellier, fundador e CEO do GetNinjas. Foto: Divulgação

O GetNinjas (NINJ3), marketplace que conecta profissionais autônomos a seus clientes, está entre as empresas que mais registraram desvalorização em 2021. Com abertura de capital em maio deste ano, a companhia caiu 70% desde então. 

Não é exclusividade do GetNinjas registrar perdas tão volumosas. Empresas de tecnologia, em geral, sofrem com o cenário econômico do País. Principalmente porque o valor de uma empresa é calculado pelo fluxo de caixa que ela gera ao longo do tempo, e as empresas de tecnologia têm percentual maior de fluxo no longo prazo

Ou seja, com a taxa de juros de longo prazo subindo, como visto nos últimos meses, as empresas de tecnologia veem seus papéis perderem valor na bolsa de valores.

Mas o CEO e fundador do GetNinjas, Eduardo L’Hotellier, já traçou estratégias e tem metas definidas para reverter essa tendência de perdas e mostrar aos investidores que o futuro da empresa é promissor.

Visão de longo prazo para o GetNinjas 

Os dois projetos são apenas o começo do que o CEO Eduardo L’Hotellier vislumbra para o futuro da sua companhia. Com cerca de 180 mil profissionais ativos, 540 categorias de serviços e presença em mais de 60% das cidades brasileiras, o fundador está de olho em aumentar a sua penetração no setor de serviços. 

“Esse é um mercado que a gente estima em R$ 1 trilhão, mas o GetNinjas só tem 0,1% de market-share, apesar de ser a maior plataforma on-line do segmento”, diz. 

Confira os principais trechos da entrevista do Suno Notícias com o executivo:

O que os novos serviços representam para o crescimento do GetNinjas? 

Em nossa tese de IPO destacamos que nosso objetivo era investir em uma plataforma melhor e com mais engajamento dos profissionais e clientes. Esses novos projetos vão de encontro a esse objetivo. 

Nos últimos anos, o GetNinjas tem crescido 50% ano a ano. Nosso time de tecnologia dobrou de tamanho e estamos trabalhando para ser uma plataforma cada vez mais robusta. Temos muitos desafios e trabalho para os próximos anos. 

Quais são esses desafios e como a plataforma pode evoluir? 

Até o IPO, nosso time de tecnologia focou muito na plataforma para os profissionais, e o aplicativo para clientes está aquém do que pode ser. É o resultado de uma empresa que tinha menos capital para investir nos dois. Agora, a situação é diferente. Para o próximo ano vamos entregar uma plataforma nova para os clientes. 

Esse aplicativo vai entregar algoritmos melhores, com mais assertividade na entrega dos profissionais, com menor tempo de resposta para o cliente, além de melhorias em outros aspectos que o app já tem. 

Hoje, somos a principal plataforma digital de serviços. Temos um tamanho muito superior ao de qualquer concorrente direto. A nossa concorrência de verdade é com o porteiro do prédio, com o boca a boca da recomendação. Precisamos melhorar nosso algoritmo para ser mais eficiente do que essa recomendação. Ainda existe um estigma de contratar on-line porque o Brasil tem a pecha de país em que a qualidade dos serviços deixa a desejar. 

Só os algoritmos dão conta de superar essa barreira? 

Também tem um fator de evolução natural do negócio. Vimos isso acontecer com o e-commerce 10 anos atrás. É uma barreira que está sendo transposta de forma rápida e nosso objetivo é resolver nossa plataforma para ajudar o mercado. 

Hoje as pessoas usam aplicativo para tudo: para comprar todo tipo de produto, para comprar comida, fazer supermercado, acessar o banco. Os mais variados aspectos da vida podem ser resolvidos com um aplicativo e com serviços não é diferente. É uma questão de um pouco mais de tempo e vai acontecer como aconteceu com outros setores. 

Se você parar pra pensar, vai ver que antigamente as pessoas faziam isso por classificados, então o que é novo nisso é a forma de comunicação. Serviço é uma das poucas áreas que ainda está atrás nessa evolução, mas com mais serviços chegando ao ambiente digital, uma parcela mais ampla da população com acesso aos smartphones e a popularidade dos pagamentos digitais, nossa tendência é crescer cada vez mais. 

Como você analisa esse crescimento em 2022? Ano eleitoral em que o mercado espera um cenário macroeconômico tão difícil. 

Diversas pesquisas eleitorais apontam que um dos temas mais relevantes para as eleições de 2022 será a empregabilidade, com o País com uma taxa de desemprego tão alta. E eu acredito que estamos muito bem posicionados em um momento tão importante quanto esse. 

O GetNinjas pode contribuir para a retomada do emprego no País. Muitos dos nossos profissionais trabalham com serviços que são essenciais e, com o agravamento da crise econômica, vemos uma mudança de comportamento que também favorece nosso negócio, que é a opção pelo conserto. 

Geladeira deu problema? A pessoa vai consertar e não comprar uma nova com a crise. Quebrou a tela do celular? Conserto. Máquina de lavar parou? Conserto. No fim, vemos um aumento de entrada de clientes e maior demanda por profissionais. 

O GetNinjas ainda tem o diferencial da comparação. Os clientes recebem o orçamento de mais de um profissional, com isso ele ainda consegue avaliar os preços e escolher o que melhor cabe no bolso. 

Ainda assim, o GetNinjas está entre as empresas que mais caíram na bolsa neste ano. O que acontece? 

Empresas de tecnologia enfrentam mais volatilidade no mercado de capitais. Mas os investidores precisam olhar para a tese de investimentos e modelo de negócio das companhias. 

Independentemente desse resultado na Bolsa, o GetNinjas tem saúde financeira para atravessar o próximo ano que promete esse cenário macro desafiador. Temos caixa, a companhia não tem dívidas e nosso foco está no crescimento. 

O que eu vejo é: não importa se o PIB cresce ou não, o crescimento do GetNinjas está atrelado a quanto desse PIB vai para o digital e, no final das contas, a parcela do PIB digital amanhã é sempre maior do que foi ontem. Cabe ao GetNinjas ser líder nesse movimento de transformação digital dos serviços, porque a consolidação do digital é certa, quem vai abocanhar esse movimento não.

Conheça os novos serviços do GetNinjas 

A plataforma do GetNinjas está testando dois novos serviços atualmente: o Proteção Ninja e o Clube Ninjas. O primeiro é destinado aos clientes enquanto o segundo é exclusivo aos profissionais. 

Proteção Ninja 

O Proteção Ninja é uma garantia ao usuário contra profissionais ruins, que furam o serviço ou não o fazem bem feito. Por meio dessa garantia, clientes podem solicitar ao GetNinjas um novo profissional para realizar a tarefa, dentro de um limite de R$ 1 mil pelo serviço. 

De acordo com L’Hotellier, trata-se de um benefício que é uma evolução natural para os marketplaces. “Quase todos os marketplaces que crescem muito lançam um serviço de proteção ao cliente. É uma evolução natural para destravar a demanda reprimida”, diz. 

Isso porque, segundo o CEO, aumenta a confiança dos usuários em relação à garantia do serviço, elevando a recorrência de contratações e retorno ao profissional bem-avaliado. 

O Proteção Ninja é um serviço adicional que está sendo testado no Sul do País, para cerca de 8% dos usuários cadastrados. Em 2022, o serviço deve chegar para todo o Brasil. 

Trata-se de um benefício adicional a outros mecanismos de proteção que a plataforma já possui, como verificação de documentos e antecedentes criminais de todos os profissionais, além da avaliação por estrelas comuns aos marketplaces. 

Clube Ninjas 

Para os profissionais, o GetNinjas colocou no ar o Clube Ninjas, um programa de descontos para aumentar o engajamento e fidelização dos prestadores de serviço da plataforma. 

O clube tem parceria com empresas como Magazine Luiza (MGLU3), Mercado Livre (MELI34), Buser e Cobasi para descontos exclusivos. Todos os profissionais que comprarem qualquer um dos pacotes de moedas do Getninjas têm direito a usufruir do programa de fidelidade

L’Hotellier explica que a empresa não recebe comissão de todas as parcerias, que o objetivo final deste serviço é a retenção de talentos e o diferencial frente aos concorrentes. 

“Uma parceria ou outra tem comissionamento e a receita é bem-vinda, mas não é o nosso objetivo final. O que queremos para o Clube Ninja é oferecer condições especiais para nossos 3,7 milhões de profissionais cadastrados, seja para lazer ou evolução técnica.”

Para 2022, o CEO do GetNinjas vai buscar aumentar o número de parceiros, principalmente em segmentos de educação e lazer. 

Monique Lima

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO