Patrocinado por:

Gerdau (GGBR4) dispara 7% após balanço: XP destaca melhores preços

Gerdau (GGBR4) dispara 7% após balanço: XP destaca melhores preços
Foto: Reprodução Facebook

A Gerdau (GGBR4) avança cerca de 7% na bolsa de valores no pregão desta quarta-feira (5) por volta das 12h15, após a companhia ter divulgado seu balanço do primeiro trimestre de 2021 pela manhã. A XP Investimentos definiu o balanço como positivo, manteve sua recomendação de compra e apontou como destaques os melhores preços exercidos pela companhia em todas as suas unidades de negócio.

“Isso resultou em margens mais saudáveis em praticamente todas as linhas“, dizem os analistas Yuri Pereira e Thales Carmo sobre os preços dos produtos da Gerdau.

A companhia registrou um Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 4,3 bilhões, superando as expectativas da XP em 29% e o consenso do mercado em 25%.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Vídeo Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Preços de produtos da Gerdau melhoraram em todas unidades

No Brasil, o Ebitda de R$ 2,5 bilhões superou o esperado, apesar dos volumes mais baixos de produção e de venda (1,29 milhão de toneladas, queda de 9% na base trimestral). Isso por conta, justamente, dos preços realizados pela Gerdau, que avançaram 31% no trimestre e ficaram 14% mais caros do que o consenso da XP indicava.

A alta do preço das matérias primas, sucata e minério – que avançou 20% no trimestre, acima dos 5,3% previstos pela XP – foi sentida, mas a receita mais do que a compensou.

No Estados Unidos, o Ebitda de R$ 843 milhões superou a previsão da XP, que era de R$ 596 milhões, com a alta de 19% dos preços (ante consenso de 12% da XP), compensando o volume 3% menor do que o projetado e a queda de 4% na base trimestral.

Os custos operacionais, por lá, avançaram aquém dos preços, com crescimento de 15% no trimestre. “Uma expansão saudável da margem Ebitda sinaliza uma demanda resiliente dos setores industrial e de construção no país”, afirmam Pereira e Carmo.

Nos aços especiais, a tendência foi a mesma: Ebitda de R$ 409 milhões acima da expectativa de R$ 391 milhões da XP. Nesse caso, porém, o desempenho operacional foi melhor devido tanto a um maior volume de vendas, crescendo 4% no trimestre, quanto aos melhores preços. A margem Ebitda ficou em 17%, ante 15% no fim de 2020.

Na América Latina, o Ebitda de R$ 550 milhões foi acima da estimativa de R$ 457 milhões, com uma margem de 38%, ante 34% no último trimestre do ano passado. Os volumes superaram 10% a estimativa da XP, crescendo 47% na base anual, com melhor demanda do Peru e da Argentina.

Por último, pesa sobre a análise dos especialistas da XP sobre a Gerdau o anúncio de dividendos de R$ 0,40 por ação.

Vitor Azevedo

Compartilhe sua opinião