Semana do Fiagro

Fundos de Petrobras (PETR4) e Vale (VALE3) já renderam até 25 vezes mais que o FGTS, diz site

Fundos de Petrobras (PETR4) e Vale (VALE3) já renderam até 25 vezes mais que o FGTS, diz site
Sede da Petrobras. Foto: André Motta de Souza / Agência Petrobras

Nos últimos 20 anos, Vale (VALE3) e Petrobras (PETR4) já renderam mais aos seus acionistas do que o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) aos trabalhadores que compraram suas cotas.

Segundo dados levantados pelo Valor Data, do jornal Valor Econômico, o fundo mútuo de capitalização da Petrobras, lançado em 2000, já rendeu oito vezes mais que o FGTS no mesmo período de tempo. Já o fundo mútuo de privatização da Vale, de 2002, entregou aos acionistas 25 vezes mais que o fundo garantidor aos trabalhadores, nos mesmos 20 anos.

A pesquisa mostra que o fundo da Petrobras valorizou 1.236,2% entre 18 de agosto de 2000 a maio de 2022, enquanto o FGTS rendeu 152,7% no mesmo período.

Já o fundo da Vale disparou 3.426,4% entre março 2002 a maio de 2022, frente uma valorização de 133,4% do FGTS na mesma época.

No caso dos fundos mútuos de ações da petroleira e da mineradora, a valorização não foi linear, com períodos de fortes quedas ao longo dos últimos anos. Porém, os papéis não chegaram a perder valor frente ao FGTS, somente encostaram no mesmo rendimento, para depois valorizar com força novamente, indicam os gráficos do Valor Data.

Fundos mútuos da Eletrobras

Na época em que ocorreu a capitalização parcial da Petrobras e a privatização da Vale, o governo ofereceu descontos de até 20% no preço das ações das empresas para estimular a população a trocarem a renda garantida do FGTS pelo risco das ações da estatais.

Agora, com o processo de privatização da Eletrobras (ELET3), a proposta é a mesma. O governo já anunciou que abrirá novamente a possibilidade de as pessoas optarem por usar parte de seus saldos do fundo garantidor para comprarem indiretamente ações da empresa de energia por meio dos fundos mútuos.

>> Saiba o que  são fundos mútuos de privatização. 

Embora seja um fundo de investimento em ações, as regras de saque do valor investido são as mesmas do FGTS: o dinheiro só poderá ser resgatado em casos de demissão sem justa causa, compra de imóvel, aposentadoria, diagnóstico de câncer, entre outras situações específicas impostas pela Previdência Social.

A aplicação financeira, assim como aconteceu com Vale e Petrobras, será por meio de instituições que serão as administradoras dos fundos mútuos.

Cotação de Vale, Petrobras e Eletrobras

Com a liberação do Tribunal de Contas da União (TCU) para a privatização da Eletrobras, as ações da empresa dispararam no Ibovespa no último dia.

As ações ordinárias (ELET3) registraram alta de 3,03%, para R$ 43,88, já as ações preferenciais (ELET6) subiram 2,54%, a R$ 43,20. Em 12  meses, os papéis da Eletrobras acumulam valorização de 25,23% (ON) e 20,91% (PN).

Já as ações da Vale fecharam o pregão de ontem (19) com alta de 2,66%, avaliadas em R$ 79,85. Nos últimos 12 meses, a mineradora registra queda de 16,56%.

Por fim, as ações da Petrobras também tiveram um dia de alta na quinta, com os papéis ordinários (PETR3) subindo 0,84%, a R$ 37,15, enquanto as ações preferenciais (PETR4) tiveram alta de 1,70%, para R$ 34,17.

Em 12 meses, as ações ON da Petrobras valorizaram 56,16% e as ações PN subiram 40,73%.

Monique Lima

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO