XPLG11 faz recompra milionária de CRIs com retorno de IPCA + 7,15%; veja o valor investido

O fundo imobiliário XPLG11 informou a realização de uma nova recompra facultativa no valor total de R$ 60,16 milhões, referente à 1ª série do CRI 68, cuja remuneração é de IPCA + 7,15% ao ano.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/06/Lead-Magnet-1420x240-3.png

Com essa nova recompra do FII XPLG11, a representatividade do total de obrigações a pagar dos CRIs em comparação ao total de ativos do fundo diminuiu de aproximadamente 8,7% para cerca de 7,0%.

Com isso, a gestora está projetando uma redução em sua despesa financeira mensal de aproximadamente R$ 0,01 por cota.

Para realizar esse cálculo, a gestão considerou a quantidade atual de cotas do fundo que estão em circulação. Com a liquidação da 6ª oferta de cotas do FII, o valor de caixa e equivalentes de caixa do fundo imobiliário XPLG11 ultrapassou o valor total de obrigações a pagar dos CRIs.

“A gestora reafirma o compromisso de manter os indicadores financeiros saudáveis do fundo, de modo que novas recompras facultativas de CRIs poderão ser realizadas”, destaca o comunicado.

Outro ponto importante é que os valores de resultado do fundo não representam garantia de rentabilidade. O FII poderá ainda reter até 5,0% dos lucros auferidos no semestre e apurados em base de caixa, conforme regulamentação aplicável.

Carteira do XPLG11

Em seu último relatório gerencial, referente ao mês de outubro de 2023, o fundo XPLG11 anunciou as novas atualizações sobre sua carteira. O objetivo principal desse FII é investir e explorar comercialmente empreendimentos na área logística e industrial.

Até o final do mês, cerca de 92% dos ativos do XP Log eram imóveis, enquanto 5% eram aplicações financeiras e 3% eram cotas de fundos imobiliários.

Em relação aos contratos de locação do fundo, cerca de 68% são atípicos e 32% são típicos. Entre os inquilinos, o que representa a maior parcela da receita imobiliária é Via Varejo, com 13%, seguido por Leroy (12%) e Renner (9%).

Do total da Área Bruta Locável (ABL) dos imóveis do XPLG11, quase metade (49%) está no estado de São Paulo, o que corresponde a 449.806 m².

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/12/Ebook-Acoes-Desktop.webp

Tags
João Vitor Jacintho

Compartilhe sua opinião