França diz ‘claro e definitivo’ não à venda do Carrefour

A França reiterou nesta sexta-feira (15) sua oposição à compra do grupo de supermercados Carrefour pela Alimentation Couche-Tard do Canadá por 16,2 bilhões de euros (o equivalente a cerca de R$ 103,68 bilhões). As informações são do Financial Times.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240-Banner-Home-2-1.png

Em entrevista ao canal de notícias BFM TV, o ministro das Finanças francês, Bruno Le Maire, categorizou: “minha resposta é extremamente clara: não somos a favor do negócio”. “O não é educado, mas é um não claro e definitivo”, salientou o político, em um movimento que pode colocar um obstáculo importante ao negócio de aquisição do Carrefour.

Segundo o jornal britânico, as empresas continuam as negociações, disseram pessoas a par do assunto; não obstante a sinalização do governo da França sobre suas preocupações envolvendo a “soberania alimentar” do país.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Ainda de acordo com o FT, as companhias vinham discutindo a promessas de empregos, suprimentos, governança e administração, além do valor de 20 euros da oferta inicial. A Couche-Tard também estaria preparada para destinar outros 3 bilhões de euros em investimentos no Carrefour em cinco anos, assim como não cortar funcionário durante dois anos, informou uma fonte.

Pelas negociações, a rede de supermercados ainda permaneceria listada em Paris, onde também seguiria sua sede.

Apesar disso, o ministro francês não pareceu que deixaria espaço para tal operação.

França pode barrar venda do Carrefour?

De acordo com o jornal, a lei francesa permite o governo federal revisar negócios de companhias domésticas por compradores de fora em setores considerados “estratégicos”, como energia, água e telecomunicação. A França foi expandindo a lista gradualmente até adicionar, no ano passado, o tópico “segurança alimentar“.

À BFM TV, Bruno Le Maire declarou que “temos o instrumento jurídico disponível [para barrar a operação], embora eu prefira não usá-lo”.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/Ebook-Acoes-Desktop.jpg

“O que está em jogo é a segurança alimentar de nosso país”, disse o ministro das Finanças francês. “Especialmente depois que a crise de saúde nos ensinou que isso não tem preço.”

As ações do Carrefour fecharam em queda de 2,87%, a 16,61 euros no pregão desta sexta-feira. O CAC 40, índice de referência da Bolsa de Valores de Paris, caiu 1,22% hoje, para 5.611,69 pontos.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240_TEXTO_CTA_A_V10.jpg

Arthur Guimarães

Compartilhe sua opinião