Fleury (FLRY3): Troca na gestão é positiva, mas BTG questiona lucratividade

Fleury (FLRY3): Troca na gestão é positiva, mas BTG questiona lucratividade
Fleury. Foto: Reprodução Facebook

A transição da gestão do Fleury (FLRY3) na análise do BTG Pactual (BPAC11) reforça o início de um novo ciclo de crescimento que visa ampliar os horizontes da empresa como plataforma de saúde. No entanto, ainda não está claro para o banco se a companhia continuará a manter sua lucratividade. Com isso, a classificação da compra de ativos é neutra.

Ontem a Fleury anunciou ao mercado que Carlos Alberto Iwata Marinelli deixava a posição de presidente da companhia após sete anos ocupando o cargo. Em seu lugar, assumirá Jeane Tsutsui, que vinha exercendo a posição de diretora executiva na Fleury desde 2012, conforme informou o fato relevante da empresa.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Vídeo Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Segundo o documento da Fleury, Marinelli conduziu a companhia para entregas expressivas de resultados e desenvolvimento estratégico para torná-la referência no conceito de plataforma de saúde.

“Entendemos que esta transição passa uma mensagem de continuidade, reforçando a empresa como plataforma de saúde visando perseguir um novo ciclo de crescimento. No entanto, a Fleury se afasta gradualmente de seu negócio central altamente lucrativo. Não está claro se conseguirá manter sua lucratividade historicamente forte”, informou o relatório do BTG.

Após a divulgação do relatório, por volta das 12h00, os papéis da Fleury caíam a 1,44%, negociados a R$ 26,62. Enquanto que o Ibovespa tinha leve alta de 0,08%, a 117.719,12 pontos.

Fleury tem alta de 148,7% no lucro líquido do 4T20

A Fleury anotou um lucro líquido de R$ 139,5 milhões entre outubro e dezembro de 2020, o que representa uma alta de 148,7% na comparação anualizada. Já a receita líquida finalizou o quarto trimestre em R$ 928,2 milhões, reportando um avanço de 28,9% ante o quarto trimestre de 2019.

Além disso, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização)  ficou em R$ 298,1 milhões no período, alta de 52,8% em relação ao mesmo trimestre de 2019.

A Fleury anunciou ainda a distribuição de R$ 156,8 milhões em dividendos referentes a 2020 que, somados aos JCP já pagos, totalizam R$ 231,3 milhões sobre o resultado de 2020, resultando em um payout de 90% e dividend yield de 2,7%3.

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião