Ferrari produzirá maquinários de UTI contra coronavírus

Ferrari produzirá maquinários de UTI contra coronavírus
Ferrari produzirá maquinários de UTI contra coronavírus

A Scuderia Ferrari, casa automobilística mais famosa do mundo, vai reconverter sua planta de Maranello para produzir ventiladores e respiradores para UTIs. Os produtos serão entregues a hospitais que lutam contra a epidemia de coronavírus (covid-19).

A Ferrari e a Fiat Chrysler Automobile (FCA), juntamente com o fabricante de componentes automotivos Magneti Marelli, estão trabalhando em soluções para viabilizar a produção desses aparelhos que salvam vidas.

Coronavírus e Mercado Financeiro | Saiba quais oportunidades você pode estar perdendo

A produção será realizada junto a Siare Engineering International, empresa de Bolonha, na Itália, e líder mundial na produção de máquinas de ventilação, para buscar

Ferrari pode ajudar na logística ou na produção

Duas hipóteses foram apresentadas durante uma reunião entre um grupo de engenheiros da FCA e da Ferrari ocorrida nesta quinta-feira (19). A primeira visa otimizar o processo produtivo, apoiando a Saire na logística e com fornecedores. Dois aspectos que podem impulsionar a produção imediatamente.

Saiba mais: Ferrari fecha fábricas na Itália por causa do coronavírus

Entretanto, a segunda hipótese prevê fabricar partes dos aparelhos. A Ferrari já se dispôs a usar seus sistemas em Maranello, e a FCA também está considerando qual planta utilizar na produção de algumas peças.

Uma decisão ainda não foi tomada. Embora o objetivo seja claro: dobrar a produção do aparelho de UTI da Siare, de 150 para 300 respiradores por semana.

Nos últimos dias, a família Agnelli – que controla a FCA e a Ferrari – doou 10 milhões de euros (cerca de R$ 55 milhões) à Proteção Civil italiana, para lutar contra o surto de covid-19.

O grupo FCA, Ferrari e CNH Industrial também adquiriram 150 respiradores e máscaras na China e os estão transportando para a Itália.  Além disso, a Leasys, empresa de aluguel de veículos, disponibilizou à Cruz Vermelha Italiana uma frota de meios de transporte. E o grupo ofereceu sua própria rede de compras e um serviço de consultoria à Proteção Civil para comprar suprimentos e equipamentos médicos no exterior e trazê-lo rapidamente para a Itália.

Carlo Cauti

Compartilhe sua opinião

Receba os destaques que irão movimentar o cenário econômico antes da abertura do mercado.

Inscreva-se