AGENDA

ExxonMobil (EXXO34) registra prejuízo anual de US$ 22 bilhões em 2020

ExxonMobil (EXXO34) registra prejuízo anual de US$ 22 bilhões em 2020
ExxonMobil (EXXO34) registra prejuízo anual de US$ 22 bilhões

A ExxonMobil (EXXO34) informou nesta terça-feira (2) que registrou o seu primeiro prejuízo anual, de US$ 22 bilhões em 2020, ante um lucro de mais de US$ 14 bilhões no ano anterior.

Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

Além disso, no quarto trimestre de 2020, a ExxonMobil registrou um prejuízo de US$ 19,3 bilhões em ativos na América do Norte e Argentina.

Em 2020, a empresa cortou empregos e gastos, perdeu seu lugar no Dow Jones Industrial Average e ainda teve conflitos com acionistas, em meio à pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

“O ano passado apresentou as condições de mercado mais desafiadoras que a ExxonMobil já experimentou”, disse Darren Woods, CEO da Exxon.

A receita da produtora de petróleo caiu para US$ 182 bilhões, o nível mais baixo desde 2002. A empresa também registrou seu quarto trimestre consecutivo no vermelho, com um prejuízo de US$ 20 bilhões em comparação com um lucro de US$ 5,7 bilhões no mesmo período de 2019.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Vídeo Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Apesar do resultado negativo, a Exxon manteve seu dividendo trimestral de US$ 0,87 por ação. As ações do grupo subiram mais de 2% no pre-market.

Exxon e Chevron estudam fusão

A Exxon Mobil (NYSE: XOM) e a Chevron (NYSE: CVX) discutiram, no ano passado, a possibilidade de uma combinação de negócios. A conversa entre os CEOs das maiores petrolíferas dos Estados Unidos aconteceu em meio à crise do petróleo em função da pandemia do coronavírus. As informações foram reveladas pelo jornal The Wall Street Journal no último domingo (31).

Atualmente, o valor de mercado da Exxon é de US$ 189 milhões, ao passo que a Chevron vale US$ 164 bilhões — a fusão criaria uma gigante de US$ 353 bilhões. A empresa se tornaria a segunda maior petroleira do planeta, somente atrás da saudita Saudi Aramco, com a capacidade de produção de 7 milhões de barris de óleo por dia.

Segundo o jornal, as conversas não estão formalmente em andamento, “mas podem voltar no futuro”. Na última segunda, as ações das empresas operavam em alta no pre-market. Por volta das 8h30, os papéis da Exxon avançam 1,72%, enquanto da Chevron sobem 1,62%.

Última cotação

A ExxonMobil, por volta das 17h33, registrava uma queda de 1,46%, a R$ 61,59.

Rafaela La Regina

Compartilhe sua opinião