Evergrande chega ao menor valor em 11 anos com nova possibilidade de calote

Evergrande chega ao menor valor em 11 anos com nova possibilidade de calote
Imbróglio de dívida bilionária já fez ações da Evergrande caírem mais de 89% - Foto: Reprodução/Site Evergrande

Após nova declaração e aumento do risco de inadimplência, as ações da Evergrande atingiram seu menor valor em 11 anos nesta segunda-feira (6), cotadas a 1,81 HKD (Dólar de Hong Kong).

A Evergrande se desvalorizou na bolsa com a chegada do fim do prazo de 30 dias para o pagamento de uma parcela de dívida de US$ 82 milhões.

Além disso, em um arquivamento na noite da última sexta-feira (3), a Evergrande afirmou que foi pressionada por credores para pagar cerca de US$ 260 milhões (cerca de R$ 1,4 bilhão).

Nesse contexto, o governo da província de Guangdong (onde é a empresa é sediada) convocou o presidente da empresa, Hui Ka Yan, para enviar um grupo de trabalho para “supervisionar a gestão de risco, fortalecer os controles internos e manter as operações normais”.

Com o agravamento do problema da companhia, praticamente todas bolsas asiáticas apresentaram queda.

O índice de Hang Seng, que mensura os ativos da bolsa onde as ações da Evergrande são negociadas, teve uma queda de 1,76%, ante baixa de menos de 0,5% dos demais índices asiáticos.

Destoando disso, o Kospi, da Coreia do Sul, teve alta de 0,17%.

Segundo a Agência Reuters, em uma série de declarações aparentemente coordenadas, o banco central da China, o regulador bancário e de seguros e seu regulador de valores mobiliários “procuraram tranquilizar o mercado de qualquer risco” perante a situação.

Isso ocorrer com o aumento dos riscos de contaminação do sistema financeiro em decorrência das dívidas da empresa – o que poderia provocar um colapso ou uma crise de magnitude relativamente grande.

Outros especialistas, contudo, frisam que a maior parte dos credores da Evergrande fica na China – o que reduz a possibilidade de um colapso em grande escala, como o ‘Evento Lehman’, emblema da crise de 2009.

Em novembro, ações tombaram com venda

No dia 18 de novembro, os papéis da Evergrande caíram 5,7% após a gigante do mercado imobiliário chinês levantar cerca de US$ 273 milhões com a venda de suas ações remanescentes na empresa produtora de filmes e streaming HengTen Networks – que por sua vez viu seus papéis saltarem quase 25%.

A venda da HengTen foi um dos esforços da Evergrande em sua jornada para levantar capital para seus compromissos. O negócio, à época, valia US$ 2,13 bilhões.

De acordo com a CNBC, foi fechado um acordo para vender cerca de 1,66 bilhão de ações da HengTen para a Allied Resources Investment Holdings por US$ 1,28 de Hong Kong cada, como informa documento apresentado à bolsa de Hong Kong.

Dívida total da Evergrande é de US$ 300bi

A derrocada da empresa já ocorre desde meados de julho de 2020, contudo, a incorporadora imobiliária ampliou as quedas nos últimos meses com anúncios de que não teria dinheiro para pagar uma dívida da ordem de US$ 300 bilhões.

Atualmente, a companhia cai 87% na Bolsa de Hong Kong desde o primeiro pregão do ano, sendo que a queda dos últimos seis meses é de 84% – ante cotação de 11,78 HKD na primeira semana de junho.

A Evergrande possui, como ficou conhecida mundialmente, a maior dívida em dólares entre as incorporadoras imobiliárias chinesas e ainda está à beira do calote oficial – algo evitado pela empresa, que ainda tenta contornar a situação.

Nas últimas semanas a companhia chinesa fez o pagamento da 11ª parcela do passivo e retomou a construção de apartamentos devidos aos compradores. Mas isso é apenas uma fração do que o companhia deve.

Como a crise da Evergrande começou

A gigante imobiliária ganhou o noticiário e a atenção dos analistas em meados de setembro, quando veio a público reafirmar que havia uma possibilidade de calote, já que poderia não conseguir honrar suas dívidas.

O comunicado da companhia foi enviado à bolsa quando a Evergrande também reportou que suas vendas mensais caíram quase 50% entre os entre os meses de junho e agosto, passando de passando de ¥ 71,6 bilhões (US$ 11 bilhões) para ¥ 38,1 bilhões (US$ 5,9 bilhões).

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO