EUA retornam a registrar mais de 1 milhão de pedidos de seguro-desemprego

EUA retornam a registrar mais de 1 milhão de pedidos de seguro-desemprego
Os pedidos do seguro-desemprego dos EUA da semana anterior foram ligeiramente revisados para cima, de 963 mil para 971 mil.

O número de solicitações do seguro-desemprego nos EUA foi de 1,106 milhão na semana encerrada em 15 de agosto. Em comparação com a semana passada houve aumento de 135 mil pedidos. Os dados foram divulgados pelo Departamento do Trabalho americano nesta quinta-feira (20).

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

lead suno background

O total de pedidos de seguro-desemprego dos EUA apresentou uma aceleração em comparação com o número registrado nas semanas anteriores. A previsão dos analistas consultados pela “Bloomberg” apontava para 920 mil solicitações.

Os pedidos da semana anterior foram ligeiramente revisados para cima, de 963 mil para 971 mil. As solicitações feitas durante a crise da pandemia do novo coronavírus (covid-19) já superaram todos os ganho de emprego desde a crise financeira de 2008.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Governo dos EUA gasta cerca de US$ 250 bi com seguro-desemprego

O Departamento de Trabalho dos EUA divulgou neste mês  que o governo norte-americano gastou quase US$ 250 bilhões (cerca de R$ 1,35 trilhões) com o seu programa de seguro-desemprego desde o início de abril até o final de julho. Trata-se de um pagamento extra de US$ 600 (cerca de R$ 3,3 mil) por semana aos milhões de trabalhadores que foram dispensados ​​por causa da pandemia.

Os trabalhadores nos EUA que perderam definitivamente seus empregos, foram dispensados ​​ou tiveram suas horas cortadas puderam receber US$ 600 em benefícios federais, além do valor que cada estado disponibilizou para esses indivíduos. O programa foi originado em março, quando o presidente Donald Trump assinou uma lei de auxílio emergencial.

Os benefícios governamentais expiraram em 31 de julho. Trump no sábado (8) assinou uma ordem executiva que substituiria os pagamentos por US$ 300 semanais em benefícios de desemprego e pediu aos estados que fornecessem outros US$ 100 por semana.

Os pagamentos de US$ 600, conhecidos como Federal Pandemic Unemployment Compensation (em português, Compensação federal aos desempregados), foram pagos aos estados dos EUA a partir da primeira semana inteira de abril. O pico no número de pagamentos ocorreu na semana que terminou em 26 de junho, quando US$ 18,6 bilhões foram distribuídos, de acordo com dados do Departamento do Trabalho. Isso equivale a cerca de 31 milhões de pagamentos de US$600 naquela semana, embora uma porta-voz do Departamento do Trabalho tenha dito que os valores semanais podem incluir pagamentos atrasados.

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião