Dólar em queda no exterior com liquidação na CSN (CSNA3)

Para encerrar a semana pré-carnaval, a cotação do dólar abre o mercado em baixa nesta sexta-feira (9), depois de beirar os R$ 5,00 ontem.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-1.png

Segundo operadores, o mercado de câmbio se ajusta à queda do dólar em relação a algumas divisas emergentes e ligadas a commodities pares do real, como peso mexicano.

À vista, existe uma possibilidade ainda de um movimento de antecipação de venda, antevendo a liquidação na próxima terça-feira (dia 13) da captação externa da Companhia Siderúrgica Nacional, a CSN (CSNA3), de US$ 700 milhões, com a reabertura de bonds 2030.

O mercado local ficará fechado na segunda e terça-feira por causa do feriado de carnaval no Brasil, que começa amanhã.

Além disso, as negociações e a liquidez na próxima semana pode ser afetada ainda pelo feriado de Ano Novo Lunar na China, que começou hoje (sexta-feira, 9) e se estende na próxima semana, quando os mercados chineses permanecerão fechados.

O recuo do dólar é limitado pela alta dos juros futuros, em linha com a curva de Treasuries, após sinais de dirigentes do Federal Reserve ponderando que é cedo para cortar as taxas nos EUA.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-2-1.png

Serviços no Brasil e mais

O investidor olha ainda o volume de serviços prestados no País, que cresceu menos que o esperado em dezembro, na margem, e caiu mais do que o previsto na comparação interanual.

O volume de serviços prestados subiu 0,3% em dezembro ante novembro, segundo o IBGE, inferior à mediana do mercado, de 0,7%, segundo a pesquisa do Projeções Broadcast. Na comparação interanual, o volume de serviços prestados caiu 2,0% em dezembro, mais do que indicava a mediana, de -1,9%. No ano, houve alta de 2,30%.

O mercado está atento ainda ao ambiente político, as relações entre Congresso e Executivo após a operação da Polícia Federal que mira o ex-presidente Jair Bolsonaro e o seu partido, o PL, que tem a maior bancada na Câmara. As incertezas levaram, ontem, o dólar a romper os R$ 5,00 no pior momento dos negócios e encerrou aos R$ 4,9896 – no maior valor de fechamento desde outubro.

Em relação às negociações entre o governo e o Congresso para mudar o prazo e o alcance da reoneração da folha de pagamentos pretendida pelo Executivo para 17 setores da economia, o governo recuou e aceitou a possibilidade de retirar a reoneração da medida provisória (MP) e enviar um projeto de lei (PL) para o Congresso com a proposta.

Também está na mesa de negociação esticar o prazo e dessa forma a reoneração completa passaria de 2028 para 2029. Segundo apurou o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado), a Fazenda estaria disposta a esticar o prazo em um ano.

Cotação do dólar

Às 9h46, o a cotação do dólar à vista caía 0,17%, aos R$ 4,9861.

O dólar futuro para março recuava 0,18%, aos R$ 4,9950.

Com informações de Estadão Conteúdo.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Camila Paim

Compartilhe sua opinião