Dólar oscila em margem estreita com apetite por risco e cautela com juros

Dólar oscila em margem estreita com apetite por risco e cautela com juros
Dólar. Foto: Pixabay

O dólar opera instável, oscilando ora em alta leve ora em queda moderada, após abrir com ligeira queda nesta sexta-feira, 13. Há pouco, o índice DXY do dólar ante seis moedas fortes passou a exibir viés de alta, renovando máxima intradia, após ceder mais cedo.

Às 12h40, o dólar tinha queda de 0,95%, aos R$ 5,08. O dólar futuro para junho ganhava 0,16%, a R$ 5,17. O DXY estava praticamente estável, com viés de alta de 0,03%, aos 104,893 pontos.

Ontem, o DXY renovou máximas em 20 anos, com preocupações com a alta da inflação e dos juros nos EUA, que seguem no radar dos investidores.

O analista de câmbio da corretora Ourominas Elson Gusmão afirma que a liquidez está pequena no mercado e a tendência é de oscilação da moeda americana entre margens estreitas em meio a sinais mistos moderados no exterior frente moedas emergentes e ligadas a commodities nesta manhã.

Gusmão afirma que o mercado está monitorando a Bolsa, que opera em alta, e também o fluxo de entrada eventual de investidores estrangeiros no mercado de ações, o que se for confirmado pode vir a favorecer uma queda mais significativa do dólar ante o real durante a manhã. “Precisamos conferir isso ainda”, disse.

O índice de sentimento do consumidor nos Estados Unidos, medido pela Universidade de Michigan, recuou de 65,2 em abril a 59,1 na leitura preliminar de maio, informou nesta sexta-feira, 13, a própria instituição. Analistas ouvidos pelo Wall Street Journal previam queda a 64,1.

Já as expectativas de inflação em 1 ano e em 5 anos seguiram em 5,4% e 3,0% na pesquisa, respectivamente.

No Brasil, a taxa de desemprego ficou 11,1% no 1° trimestre de 2022, o que significa estabilidade na comparação com o 4º trimestre de 2021, quando registrou o mesmo percentual. Representa ainda queda de 3,8 pontos percentuais na comparação com o mesmo trimestre de 2021, quando atingiu 14,9%. Os dados estão incluídos no resultado trimestral da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, divulgada hoje (13) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Última cotação do dólar

Na última sessão, quinta-feira (12), o dólar encerrou o pregão em leve queda de 0,08%, negociado a R$ 5,13.

(Com informações do Estadão Conteúdo)

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO