Dividendos do RECR11 têm retorno duas vezes maior que o CDI; veja valores

O fundo imobiliário RECR11 divulgou seu novo relatório gerencial do mês de agosto, em que destacou o pagamento de dividendos que será feito em 15 de setembro de 2023, no montante total de R$ 15,785 milhões, equivalente a R$ 0,5970 por cota.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-1.png

Em relação ao preço da cota de fechamento de agosto, de R$ 89,73, os dividendos do RECR11 representam um dividend yield de 0,665% no mês, ou 7,98% ao ano.

Considerando o desconto do imposto de renda, que incide sobre rendimentos decorrentes de aplicações financeiras, a rentabilidade do mês passa a equivaler a 75% do CDI líquido de tributos.

O resultado do mês em regime de caixa, que foi de R$ 15,786 milhões, foi afetado pelo IPCA negativo do mês de junho, o que fez com que os rendimentos do RECR11 alcançassem o menor patamar de 2023. O pagamento de proventos do FII corresponde a R$ 10,31 por cota.

Apesar disso, o FII pagou entre dezembro de 2017, época de sua IPO, e agosto de 2023, um valor acumulado de 95,5% sobre a cotação de R$ 100, enquanto o CDI acumulado, líquido de impostos, é menor que a metade disso, de 41,4%.

O fundo imobiliário RECR11 encerrou o mês de agosto com 94% de seus recursos investidos, distribuídos em 91 operações de CRI e 3 fundos imobiliários.

“Neste momento, não há previsão para uma nova oferta de captação do Fundo REC Recebíveis Imobiliários”, destacou a gestão do RECR11.

Movimentações da carteira do RECR11

Ao longo do mês, o fundo realizou a aquisição do CRI Pulverizado Província REMIC, emitido pela Província, no valor de R$ 4,058 milhões. A taxa de aquisição do CRI corresponde a IPCA + 9,50% ao ano.

Outro investimento realizado foi no CRI Helbor 5. O FII RECR11 comprou novas cotas desse CRI emitido pela Habitasec Securitizadora, no valor de R$ 4,074 milhões, com uma taxa equivalente a CDI + 2,75% ao ano.

Além disso, o FII acordou a novação do CRI Matarazzo Suites 2 e 3 com mudança na data de vencimento para 11 de março de 2024.

Ao final de agosto, 94% dos ativos do RECR11 eram CRIs e FIIs. Por ativo, R$ 2,309 bilhões estão investidos em CRIs, R$ 102,83 milhões estão em fundos imobiliários e R$ 78,28 milhões em imóveis.

Por fim, o RECR11 tem R$ 67,935 milhões alocados em cotas de fundos de investimentos com liquidez diária de instituições financeiras de primeira linha, e os demais recursos estão em outros ativos.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-2-1.png

João Vitor Jacintho

Compartilhe sua opinião