Direcional (DIRR3) apura lucro de R$ 82,7 milhões no 3T23, alta anual de 94,1%

A Direcional (DIRR3) apresentou lucro líquido ajustado de R$ 82,7 milhões no terceiro trimestre de 2023, montante 94,1% maior do que no mesmo período de 2022. Segundo a companhia, esse resultado demonstra a capacidade de melhora da margem e eficiência com o ganho de escala nos lançamentos e vendas de imóveis. Já o lucro líquido contábil foi de R$ 68,8 milhões, alta anual de 10,4%.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/06/Lead-Magnet-1420x240-3.png

O Ebitda da Direcional (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado somou R$ 139,6 milhões, alta anual de 29,5%, e um recorde para a companhia. A margem Ebitda foi a 25,0%, avanço de 6,3 pontos porcentuais na mesma base de comparação.

Os indicadores no critério “ajustado” excluem as despesas com cessão de recebíveis, o resultado de swap de ações e outros itens não recorrentes alocados na linha de “outras despesas e receitas”.

Já a receita líquida da Direcional somou R$ 557,7 milhões, recuo de 2,9% ante o mesmo trimestre do ano anterior. Por sua vez, a margem bruta ajustada da incorporadora cresceu 2 pontos porcentuais, para 37,0%.

O encolhimento da receita aconteceu com a venda de empreendimentos em 2022 e 2023 para sócios, de modo que seus resultados passaram a ser consolidados na linha de equivalência patrimonial.

A receita líquida ‘total’, englobando também esses outros projetos, chegou a R$ 804 milhões no terceiro trimestre, um aumento de 16%.

A Direcional reiterou que a presença de sócios nos projetos será menor daqui para frente, com a linha de receita líquida voltando a apurar a totalidade do faturamento com os seus empreendimentos.

As despesas gerais e administrativas somaram R$ 45 milhões no 3T23 da Direcional, alta de 13%. Elas representam 5,3% da receita total, patamar estável. As despesas comerciais caíram 8%, para R$ 48 milhões, representando 8,6% da receita, recuo de 0,4 ponto porcentual.

O resultado financeiro (saldo entre receitas e despesas financeiras) gerou uma despesa de R$ 12 milhões.

A incorporadora encerrou o terceiro trimestre com caixa líquido de R$ 49,9 milhões, revertendo a posição de dívida líquida de R$ 297 milhões de um ano antes, o que é explicado pela entrada de recursos com seu follow-on. A dívida bruta é de R$ 1,29 bilhão, e as disponibilidades em caixa, de R$ 1,34 bilhão.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/Ebook-Acoes-Desktop.jpg

Direcional: alta de 30% nos lançamentos

Em decorrência do ciclo de crescimento operacional, houve consumo de caixa no valor de R$ 51 milhões no terceiro trimestre. No acumulado do ano até setembro, o consumo de caixa totalizou R$ 22 milhões.

Conforme já divulgado nas suas prévias operacionais, os lançamentos da Direcional foram de R$ 1,259 bilhão no terceiro trimestre de 2023, crescimento de 30,3% em relação ao mesmo período de 2022. As vendas líquidas totalizaram R$ 751,4 milhões, avanço de 10,1% na mesma base de comparação

Em sua apresentação de resultados do 3T23 da Direcional, a empresa afirmou estar preparada para aproveitar as oportunidades no segmento econômico (Minha Casa Minha Vida) e no segmento de médio padrão, onde atua com a marca Riva.

“Com um banco de terrenos bem posicionado e com um pipeline de produtos muito bem pensados para atender às necessidades dos nossos clientes, entendemos ter fortes pilares de crescimento para conquistar cada vez mais espaço”, afirmou a administração da Direcional.

Com Estadão Conteúdo

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Redação Suno Notícias

Compartilhe sua opinião