Semana do ESG

DEVA11 e HCTR11 estão entre os 10 FIIs que pagam dividendos maiores que a Selic; veja a lista

Taxa Selic subiu para 13,75%! Entenda a decisão do Copom

O Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, elevou mais uma vez a taxa a Selic, que passou de 13,25% para 13,75% ao ano. Por esse motivo, muitos investidores acabam focando apenas na renda fixa e deixando de lado excelentes oportunidades na renda variável, como fundos imobiliários descontados e que pagam bons dividendos.

Os dividendos dos fundos imobiliários representam uma alternativa importante para quem quer construir renda passiva no longo prazo, principalmente se o investidor tem uma estratégia de reinvestir seus proventos em mais cotas, beneficiando-se dos juros compostos.

Apesar da renda fixa estar trazendo algumas oportunidades interessantes para quem busca rendimentos com uma melhor relação risco/retorno, existem fundos imobiliários que estão pagando dividendos maiores que a Selic. Mas quais são eles?

Quais são os fundos imobiliários que pagam dividendos maiores que a Selic?

Considerando a Selic atual de 13,75% ao ano, é possível observar 10 FIIs com dividendos maiores que a taxa básica de juros, considerando o dividend yield de cada um deles nos últimos 12 meses, que são:

  1. Urca Prime Renda (URPR11) – 20,15%
  2. Átrio Reit Recebíveis Imobiliários (ARRI11) – 17,89%
  3. Kinea Índices de Preços (KNIP11) – 17,58%
  4. Valora Hedge Fund (VGHF11) – 17,43%
  5. Riza Arctium Real Estate (ARCT11) – 17,17%
  6. Habitat Recebíveis Pulverizados (HABT11) – 16,77%
  7. Hectare CE (HCTR11) – 16,65%
  8. Devant Recebíveis (DEVA11) – 16,53%
  9. Kinea Securities (KNSC11) – 16,28%
  10. REC Recebíveis Imobiliários (RECR11) – 15,42%

Nessa lista, é pode-se notar que o DY mais baixo é de 15,42% nos últimos 12 meses, bem acima da Selic hoje e da perspectiva do mercado para a taxa básica de juros até o final de 2022.

Segundo o boletim Focus, publicado na última segunda-feira (1º), a projeção da taxa Selic para o final deste ano é de 13,75% ao ano.

Se for levado em conta a projeção para o ano de 2023, a diferença dos dividendos pagos nos últimos 12 meses por esses fundos para a taxa de juros é ainda mais relevante. A estimativa é que o ano que vem termine com uma Selic na faixa de 10,75% a 11,00% ao ano.

Além dos dividendos, os fundos imobiliários podem trazer rentabilidades ainda maiores no médio/longo prazo com a valorização de suas cotas, o que é algo muito importante a ser considerado pelo investir.

Quais fundos imobiliários são beneficiados com o cenário de alta dos juros?

Mesmo com o forte crescimento da Selic nos últimos meses, o que acabou impactando de forma negativa diversos ativos de renda variável, alguns fundos imobiliários podem se beneficiar com a alta dos juros e, consequentemente, poderem pagar dividendos maiores.

Nesse caso, se incluem os FIIs cujos rendimentos estão indexados a Selic e o CDI, que acompanha esse avanço da taxa básica de juros.

Por causa da dinâmica de funcionamento, os fundos imobiliários dessa categoria podem ter retornos ainda maiores, quanto mais alta estiver a taxa Selic.

Importante lembrar que o aumento da Selic ocorre com o avanço da inflação, o que pode favorecer outra classe FII e o pagamento de seus dividendos.

Os fundos imobiliários que se beneficiam com a alta da inflação são justamente aqueles que têm seus contratos indexados aos índices inflacionários, como IPCA e IGP-M, por exemplo. É o que acontece com alguns fundos imobiliários dessa lista, que vem pagando bons dividendos.

João Vitor Jacintho

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO