Lucro da Cyrela (CYRE3) tem alta de 1,1% no 1T23 e atinge R$ 164 milhões

A Cyrela Brazil Realty (CYRE3) apresentou lucro líquido 1,1% maior na comparação entre o primeiro trimestre de 2023 e o mesmo intervalo de 2022, chegando a R$ 164 milhões. No mesmo período, a receita líquida aumentou 4,2%, para R$ 1,283 bilhão.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-1.png

A margem bruta da Cyrela recuou 0,4 ponto porcentual, para 30,7%. Segunda a empresa, isso se deve à queda nas margens dos novos lançamentos em comparação com os projetos de 2022 e pelo aumento nos juros apropriados ao custo.

As despesas comerciais da Cyrela subiram 26,5%, para R$ 142 milhões, puxadas por maiores despesas com estandes de vendas, serviços de terceiros e manutenção de estoque pronto. Já as despesas gerais e administrativas caíram 6,7%, para R$ 114 milhões.

O resultado financeiro da Cyrela (saldo entre receitas e despesas financeiras) gerou uma receita líquida de R$ 46 milhões, um salto de cinco vezes na comparação anual. A companhia informou que foi positivamente impactada em R$ 27 milhões pela reversão de parte da provisão para devedores duvidosos da CashMe, sua empresa de financiamentos.

A Cyrela apurou ganho de R$ 45 milhões na linha de equivalência patrimonial, em que contabiliza os resultados de suas investidas: Cury (CURY3), de R$ 20 milhões, Lavvi (LAVV3), de R$ 11 milhões, e Plano&Plano (PLPL3), R$ 14 milhões. Na ponta negativa, a companhia reportou R$ 19 milhões devido às contingências judiciais.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-2-1.png

A Cyrela teve queima de caixa de R$ 35 milhões no trimestre.

Sua dívida líquida ficou em R$ 127 milhões, resultado de uma dívida bruta de R$ 4,546 bilhões e disponibilidades de caixa de R$ 4,419 bilhões. A alavancagem (medida pela relação entre dívida líquida e patrimônio líquido) cresceu 1,7 ponto porcentual na comparação anual, para 6,5%.

Conforme as prévias operacionais já divulgadas pela Cyrela, os lançamentos subiram 24% na comparação do primeiro trimestre de 2023 ante o mesmo período de 2022, para um valor geral de vendas (VGV) de R$ 875 milhões. Ao todo, foram oito projetos lançados neste começo de ano, sendo a maior parte do VGV no segmento de alto padrão. No caso das vendas líquidas, houve alta de 8,6%, para R$ 1,1 bilhão.

Com Estadão Conteúdo

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/Ebook-Acoes-Desktop-1.jpg

Redação Suno Notícias

Compartilhe sua opinião