URGENTE

Cyrela (CYRE3) soma R$ 2,2 bi em VGV no terceiro trimestre, alta de 33,2%

Cyrela (CYRE3) soma R$ 2,2 bi em VGV no terceiro trimestre, alta de 33,2%
Cyrela (Foto: Divulgação)

A Cyrela (CYRE3) divulgou nesta quarta (13), em sua prévia operacional para o terceiro trimestre de 2021, que registrou R$ 2,2 bilhões em valor geral de vendas (VGV) de lançamentos, representando alta de 33,2% ante o mesmo período de 2020. Segundo o comunicado, a companhia lançou 12 empreendimentos entre julho e setembro.

Por outro lado, as vendas líquidas contratadas da Cyrela somaram R$ 1,366 bilhão, valor 20,2% inferior ao reportado no mesmo intervalo do ano anterior e 12,5% abaixo do segundo trimestre de 2021.

A participação da companhia nas vendas contratadas foi de 91% no período, na mesma proporção de igual trimestre de 2020.

Das vendas líquidas realizadas no segundo trimestre, R$ 195 milhões se referem à venda de estoque pronto (14%), R$ 440 milhões à venda de estoque em construção (32%) e R$ 730 milhões à venda de lançamentos (53%).

Dessa forma, a Cyrela atingiu velocidade de vendas (VSO) de lançamentos de 33,2% no período.

“Em função do IPO das JVs Lavvi (B3:LAVV3), Cury (B3:CURY3) e Plano&Plano (B3:PLPL3) realizados no 3T20, todos os números deste trimestre e de períodos anteriores serão apresentados de modo ‘pró-forma’, sem considerar os dados das três empresas. Os números das JVs serão de acesso ao mercado em geral e divulgados oportunamente nas suas respectivas prévias e/ou releases operacionais”, avisa a empresa.

Banco Inter recomenda compra da Cyrela

O setor de construção é um dos penalizados pela abertura das curvas de juros e pelo aumento da inflação, mas a equipe de research do Banco Inter (BIDI4) enxergou na recente pressão uma margem de entrada e reforçou a recomendação de compra para Cyrela (CYRE3), mesmo que com preço-alvo reduzido de R$ 30 por papel.

Os analistas do Banco Inter esperam uma queda nos níveis de concessão de crédito imobiliário e, ao mesmo tempo, um aumento no custo médio de financiamento do setor de construção. As estimativas estão ligadas à projeção para a taxa básica de juros (Selic) ao final de 2021, elevada para 8,25% ao ano.

A tese de investimento está ancorada no histórico de resiliência da Cyrela — é esperado que se mantenha, apesar da desaceleração de vendas prevista para os próximos meses.

(Com informações da Agência Estado)

Bruno Galvão

Compartilhe sua opinião