Grana na conta

Copel (CPLE6): lucro líquido chega a R$ 441 milhões no 3T23, alta de 16,6% em um ano

A Companhia Paranaense de Energia – Copel (CPLE6) – obteve lucro líquido de R$ 441,2 milhões no terceiro trimestre de 2023 (3T23), segundo balanço divulgado no fim da noite de quarta-feira (8).

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/Lead-Magnet-1420x240-3.png

O lucro líquido da Copel no 3T23 foi, portanto, 16,6% maior do que o lucro de R$ 378,4 milhões registrado em igual período de 2022 (3T22).

No período, a receita operacional líquida da Copel avançou 8,5% em relação a igual trimestre de 2022, para R$ 5,544 bilhões na base anual.

O resultado é reflexo, principalmente, do aumento de R$ 330,6 milhões na receita de disponibilidade da rede elétrica; crescimento de R$ 273,9 milhões na receita de fornecimento de energia elétrica; acréscimo de R$ 52,9 milhões na receita de construção, em função, essencialmente, do aumento do volume de obras relacionadas ao programa “Transformação”; e aumento de R$ 11,3 milhões na linha “outras receitas operacionais”.

O Lucro Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização (Ebitda da Copel) ajustado, excluindo os itens não recorrentes, atingiu R$ 1,439 bilhão no período, valor 26,8% superior ao reportado no mesmo intervalo do ano anterior.

O montante, segundo a Copel, é “reflexo, sobretudo, do melhor resultado da Copel Geração e Transmissão, Copel Distribuição e da melhor remuneração sobre ativos de transmissão de empreendimentos controlados em conjunto, parcialmente compensado, principalmente, pelo menor resultado da Elejor e Compagas.

Desconsiderando o resultado de equivalência patrimonial, o EBITDA Ajustado teve aumento de 21,8% no 3T23 ante 3T22″, destacou.

A dívida consolidada da companhia ao final do 3T23, considerando operações descontinuadas (referente a Compagas e UEGA, que estão em processo de alienação), totalizou R$ 15,443 bilhões, acréscimo justificado pela 4ª emissão de debêntures simples da Compagas em julho de 2023 no montante de R$ 295 milhões.

No final do 3T23, o endividamento bruto da companhia representava 64,4% do patrimônio líquido consolidado, que era de R$ 23,508 bilhões.

A alavancagem da Copel ficou em 2,3 vezes a relação dívida/Ebitda, enquanto a geração de caixa operacional foi de R$ 1,2 bilhão.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240.jpg

Desempenho das ações da Copel

Cotação CPLE6

Gráfico gerado em: 09/11/2023
1 Dia

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/1420x240-Controle-de-Investimentos.png

Giovanni Porfírio Jacomino

Compartilhe sua opinião