Copel (CPLE6) aprova estudos para renovar concessões por meio de oferta de ações

O conselho de administração da Copel (CPLE6) aprovou a realização de estudo com o objetivo de viabilizar a renovação integral das concessões de usinas hidrelétricas (UHEs) por 30 anos, conforme anunciado em comunicado ao mercado nesta quarta-feira (21).

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/Lead-Magnet-1420x240-2.png

Entre as usinas que farão parte do estudo da Copel, estão inclusas a Governador Bento Munhoz da Rocha Netto, mais conhecida como Foz do Areia, Governador Ney Braga, a Segredo, e a Governador José Richa, também chamada de Salto Caxias.

O estudo também prevê a avaliação de alternativas de captação de recursos visando o pagamento de bônus de outorga.

O intuito é otimizar a estrutura de capital da empresa, incluindo uma eventual oferta pública de distribuição primária de units ou ações da Copel.

Segundo o comunicado, a renovação das concessões de usinas hidrelétricas tem como principal premissa a “intenção do acionista controlador de transformar a Copel em companhia de capital disperso e sem acionista controlador”.

Além disso, a renovação visa a manutenção de 100% de participação da Copel nas concessões, que totalizam uma capacidade instalada de geração de 4.176 Megawatts (MW).

A usina hidrelétrica Foz do Areia possui uma capacidade de 1.676 MW e a Segredo de 1.260 MW. Já a Salto Caxias tem uma capacidade instalada de geração de 1.240 MW.

A companhia vai começar o processo de seleção e contratação de assessores especializados para auxiliar nos estudos para renovação das concessões da Copel e uma eventual estruturação e implementação de potencial oferta.

A definição ou aprovação para realizar a potencial oferta vai depender do resultado do estudo a ser elaborado pela empresa e por seus assessores.

Além disso, a potencial oferta da Copel estará sujeita às aprovações necessárias, como as societárias que forem aplicáveis, diante de condições macroeconômicas e de mercado favoráveis.

Também será avaliado o interesse de investidores em participar, a celebração de contratos definitivos, procedimentos inerentes à realização de ofertas públicas, dentre outras questões.

Copel permanece nas carteiras ISE e ICO2 da B3 em 2023

Na última segunda-feira (19), a Copel comunicou que, conforme segunda prévia divulgada, vai continuar fazendo parte das carteiras do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) e do Índice de Carbono Eficiência (ICO2), ambos da B3.

A 18ª carteira ISE, tem sua vigência iniciada em 2 de janeiro de 2023. A carteira será composta por ações de companhias que totalizam cerca de R$ 2,17 trilhões em valor de mercado.

Cotação da Copel

As ações da Copel, negociadas sob o ticker CPLE6, terminaram o pregão desta quarta-feira (21) em queda de 0,26%, a R$ 7,63. Assim, os papéis da empresa acumularam um desempenho negativo em 5,57% no mês de dezembro.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/Lead-Magnet-1420x240-1.png

João Vitor Jacintho

Compartilhe sua opinião

Receba atualizações diárias sobre o mercado diretamente no seu celular

WhatsApp Suno