Victor Bessa

Teoria do Equity Bond: como comparar ações com renda fixa

A Teoria do Equity Bond é um conceito valioso criado pelo Warren Buffett que auxilia os investidores a entender e comparar essas duas classes de ativos

No mundo dos investimentos, a escolha entre ações e renda fixa é uma decisão crucial. Ambos os instrumentos oferecem oportunidades e riscos distintos. A Teoria do Equity Bond é um conceito valioso criado pelo Warren Buffett que auxilia os investidores a entender e comparar essas duas classes de ativos para otimizar decisões de investimento.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/06/Lead-Magnet-1420x240-2.png

O que é a Teoria do Equity Bond?

De acordo com o Buffett, Equity Bond são empresas que possuem uma vantagem competitiva duradoura e exibem uma notável robustez e previsibilidade no crescimento dos lucros, a ponto desse aumento converter suas ações em uma espécie de “Títulos de Participação Patrimonial”, com um cupom ou pagamento de juros crescentes.

Segundo ele, empresas com essa característica são tão estáveis quanto títulos de renda fixa, e portanto, suas taxas de retorno podem ser comparáveis.

Logo, o objetivo dessa estratégia é conseguir decidir se vale mais a pena investir em um Equity Bond ou em um título de renda fixa.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/Ebook-Acoes-Desktop.jpg

Como comparar uma ação com um título de renda fixa?

Para começar a fazer as comparações, você precisa entender alguns conceitos importantes de um título de renda fixa:

Valor de face: montante sobre o qual o pagamento de juros é calculado.
Cupom: representa o pagamento periódico de juros.
Preço: valor que você paga para deter o título.
Vencimento: a data em que o título “vence” e você recebe de volta o valor principal.

Na Teoria do Equity Bond, podemos dizer que o Valor de Face seria o capital investido na operação da empresa, o cupom seria o lucro gerado pela empresa, ou seja, o capital que sobra para os sócios após o investimento para manter a operação do negócio.

O preço é o valor de tela que você pagou para adquirir o ativo, e o vencimento podemos dizer que é a data que você venderia sua participação na empresa.

Importante destacar que, no caso do cupom, independe se o lucro será distribuído ou não para o acionista, isso cabe à gestão decidir. A ideia aqui é avaliar o retorno total do investimento.

Como calcular o retorno de um Equity Bond?

Existem duas formas de fazer isso, e a que você vai escolher depende do título de renda fixa que está sendo comparado.

Se a comparação for com um título de renda fixa que paga IR, como CDBs e Títulos do Tesouro, o ideal é calcular a razão do EBIT (Lucro operacional antes dos Impostos) com o valor de mercado da companhia.

No caso de comparar com títulos isentos de IR, como debêntures incentivadas, LCI e etc, o ideal é calcular a razão do NOPAT (Lucro Operacional Depois dos Impostos) com o valor de mercado da companhia.

Agora, vamos para um exemplo:

Em 22 de Janeiro de 2016, o preço por ação da IBM era de US$ 117. Considerando o número de ações dela no mercado, a companhia tinha uma capitalização de mercado de US$ 112,422 bilhões, com um NOPAT de US$ 15,945 bilhões em 2015.

(Fonte: Google Finance)

Com base nisso, podemos fazer o seguinte cálculo:

Taxa de Retorno Depois dos Impostos = 15,945 bilhões / 112,422 bilhões = 14,1%.

Com base na teoria do Equity Bonds do Buffett, investir na IBM naquela época a US$ 117 seria mais interessante do que nos Títulos Municipais Livres de Imposto, que estava por volta de 2%

(Fonte: Sure Dividend)

Além disso, o Buffett comenta que muitas Equity Bonds ainda conseguem crescer o lucro de forma constante todos os anos, logo, ao investir neste tipo de empresa, além dos juros iniciais você ainda deve considerar no cálculo o aumento de rentabilidade da companhia ao longo do tempo.

Afinal, para alguém que investe nesse tipo de empresa com objetivo de permanecer por 10, 15 ou 20 anos, isso vai fazer uma enorme diferença no resultado.

Cuidados com a Teoria do Equity Bond

Essa filosofia de investimento, sem dúvida, trouxe excelentes resultados para o Buffett, mas é preciso muito cuidado com a seleção de ativos que você irá fazer para traçar esse tipo de comparativo.

A empresa realmente precisa ter um histórico sólido e vantagens competitivas duradouras para se encaixar como um Equity Bond. Também não existem garantias de que a gestão desse tipo de empresa vai continuar a utilizar os recursos de forma produtiva e que a empresa continuará a ter o mesmo desempenho do passado.

Fusões e aquisições podem dar errado, novos concorrentes podem surgir e as tendências do setor nem sempre são favoráveis, ou seja, nada é garantido.

Além disso, é preciso se preocupar com o preço que será pago pela empresa – afinal, pagar demais por uma ação pode destruir seu resultado.

Por isso, Warren Buffett e Charlie Munger falam tanto sobre pagar pelas empresas menos do que elas deveriam valer.

A abordagem de Equity Bonds é uma técnica singular que considero bastante proveitosa, especialmente para investidores que optam por comprar e manter ações de elevada qualidade por longos períodos de tempo.

No entanto, não é recomendado depender exclusivamente dessa metodologia, nem de qualquer outra. Trata-se de mais uma ferramenta para utilizar nas suas análises, mas não deve substituir outras técnicas de avaliação de uma empresa!

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Nota

Os textos e opiniões publicados na área de colunistas são de responsabilidade do autor e não representam, necessariamente, a visão do Suno Notícias ou do Grupo Suno.

Victor Bessa
Mais dos Colunistas
Tiago Ferreira Alternativos sempre, diversificação também

É sabido que o cenário global aponta para um período de taxas de juros mais elevadas, possivelmente mais prolongado do que estava previsto. Adicionalmente, o forte des...

Tiago Ferreira
Victor Bessa Não pare de comprar: A Grande Lição da Maior Bolha Financeira da História

Você sabia que a economia do Japão, hoje conhecida por estar estagnada há décadas, com um histórico de deflação e pouquíssimo crescimento econômico, já foi considerada...

Victor Bessa

Compartilhe sua opinião