Patricia Nader

O que a minha empresa tem a ver com os ODS da ONU?

Pensados para modificar a sociedade, os ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) englobam um conjunto de ações

Pensados sob o viés importante da capacidade de modificar a sociedade, especialmente sob o ponto de vista econômico, os ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável), criados pela ONU (Organização das Nações Unidas), em 2012, englobam um conjunto de ações que visam a erradicação da pobreza, ações de proteção ao planeta e garantia de que todas as pessoas possam usufruir de paz e prosperidade.

Desde 2015, governos e empresas do mundo todo vêm aderindo de forma mais engajada e unida perante esses objetivos. Questões de urgência, como as mudanças climáticas, fazem crescer a responsabilidade da sociedade na cobrança por uma atuação socioambiental mais responsável por parte do governo e do setor privado. E é nesse quesito que as empresas entram como peça-chave na efetivação dos objetivos e no desenvolvimento de práticas que auxiliem no crescimento sustentável dos países, de forma a proporcionar equilíbrio do planeta e o bem-estar social dos seres humanos.

Criados para substituir os ODM (Objetivos de Desenvolvimento do Milênio), os ODS incluíram novas áreas como a questão das mudanças climáticas, diminuição da desigualdade econômica, apostas em inovação, práticas de consumo sustentável, instauração da paz e justiça, entre outras. Sendo a principal diferença entre ambos é que nos ODS, os objetivos são interligados entre si, já que muitas vezes o sucesso ocorre ao envolver questões associadas ou de visão comum, que buscam um crescimento mútuo.

As metas têm um imenso impacto para as empresas, já que a conservação dos recursos naturais passa a integrar os objetivos sociais e econômicos, aliando ecologia e economia. Dessa forma, os ODS apresentam uma oportunidade para que as soluções e tecnologias sejam implementadas para tratar desafios de desenvolvimento sustentável.

Os princípios estabelecidos pelos ODS já são incorporados à Política Ambiental de muitas empresas. Atualmente, inúmeras delas já atuam com foco na aplicação dos objetivos e algumas também tornando-se signatárias do Pacto Global (UN Global Compact). Somente a rede brasileira do Pacto Global, que iniciou com 500 signatários, atualmente já conta com mais de 800, figurando como a terceira maior do mundo, com um crescimento de 70%.

Entre os benefícios para as empresas, destaco três pontos. O primeiro está na construção de uma reputação sustentável por meio de uma demonstração pública para sociedade focada em valores e que a empresa está comprometida em minimizar impactos ao meio ambiente e maximizar aspectos positivos na vida em sociedade. O segundo são as novas oportunidades de negócio a partir do redirecionamento de investimentos públicos e privados em nível global, como por exemplo, em soluções e uso de energia renovável. Outro ponto é a sustentabilidade corporativa que pode auxiliar as empresas em tomadas de decisão mais sustentáveis e, por vezes, mais econômicas e eficientes em seus processos de produção.

Quando a empresa assume o compromisso de incluir os ODS no seu cotidiano de atuação, ela abre caminho para atuar em novos mercados, amplia sua vitrine para fundos de investimentos que estão optando pelo engajamento da empresa com os objetivos como critério determinante para destinação de investimentos. Além do ganho de market share ao atingir um público de clientes que buscam produtos e serviços que estejam alinhados aos princípios da sustentabilidade e do respeito ao planeta. Dessa forma, incorporar os ODS corretamente, permite que uma empresa divulgue suas ações ou impactos positivos de uma forma contextualizada com as demandas atuais.

Nota

Os textos e opiniões publicados na área de colunistas são de responsabilidade do autor e não representam, necessariamente, a visão do Suno Notícias ou do Grupo Suno.

Patricia Nader

Compartilhe sua opinião

Comece 2022 investindo nos melhores Fundos Imobiliários

Baixar agora!