João Canhada

Bitcoin: A história monetária quase sempre se repete, como farsa ou tragédia

Genghis Khan, BBB e Bitcoin, o que eles têm em comum?

O que o BBB21, China, governo brasileiro e bitcoin têm em comum? Enquanto você pensa, vou te contar a história de como um explorador europeu que conheceu o bisneto de Genghis Khan mudou o ocidente.

Marco Polo foi um grande explorador europeu que ficou por diversos anos na China, mais especificamente no reinado de Kublai Khan, bisneto do conhecido Genghis Khan. Kublai foi o fundador da dinastia chinesa Yuan e uma pessoa de ordens e regras firmes.

Uma das peculiaridades do império de Kublai estava no dinheiro, chamado de chao ele foi o primeiro papel-moeda lastreado apenas pela confiança no governo a ser usado em massa na China. Essa novidade monetária não tinha lastro em ouro ou qualquer outra coisa, era apenas um papel que você era obrigado a aceitar.

Marco Polo ficava impressionado com esse tipo de dinheiro e o relato dele é revelador:

“Com esses pedaços de papel, feitos como descrevi, ele [Kublai Khan] faz com que todos os pagamentos da sua própria conta sejam feitos; e ele os faz passar universalmente por todos os seus reinos, províncias e territórios, e qualquer que seja o seu poder e a soberania se estende. E ninguém, por mais importante que possa pensar, ousa recusá-los sob pena de morte. E, de fato, todos os aceitam prontamente.”

Polo mostra que a política monetária de Kublai era a mais simples e robusta possível, se você não aceitasse o dinheiro ele te mataria. O explorador europeu também relata que o Khan imprimia grandes quantidades de chao, tanto que Polo acreditava que a enorme quantia deveria valer “todas as riquezas do mundo”. As ideias chinesas descritas por Polo fizeram sucesso na Europa, mas o que não teve tanto sucesso foi a dinastia de Kublai.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Vídeo Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Apesar de ter todas as “riquezas do mundo” em papel-moeda, Kublai acabou o seu reinado com dificuldades financeiras. A dinastia Yuan fundada pelo Khan, na verdade, gerou episódios de hiperinflação que contribuíram para seu fim. A impressão de dinheiro foi tão grande que o valor da moeda se diluía.

Por séculos os chineses abandonaram a ideia de papel-moeda, voltando para o ouro e outros metais.

BBB21 e Kublai Khan

Agora vamos avançar quase mil anos na história e ir direto para o show de televisão mais assistido do Brasil, o BBB. Gil, um dos participantes da edição de 2021, gerou disputas na internet ao explicar que a impressão de dinheiro pode levar a um processo inflacionário, como aquele que aconteceu com o Khan.

Eu não sou um economista ou um historiador, mas gosto das duas matérias a ponto de perceber certas confluências e repetições aparentes. Desde 1971 vivemos em uma economia baseada na confiança “dos Khans”, mas em vez de Kublai ou Genghis, devemos confiar nos políticos, no Banco Central do Brasil, FED e por aí vai.

Confiamos nos governos para que eles cuidem das nossas economias e qual foi o resultado até agora? Confiscos repetidos, hiperinflação, ciclos econômicos destruidores e desigualdade social.

Assim como os Khans, os governos modernos nunca realmente permitiram a criação de uma moeda do povo e gerida pelas pessoas. Quem tentou, teve sorte parecida com aqueles que enfrentaram o imperador chinês.

Bitcoin, BBB21 e Kublai

Isso até 2009, quando a rede do Bitcoin foi lançada pelo pseudônimo Satoshi Nakamoto. Com emissão monetária programada e extremamente segura, o bitcoin ganhou o mundo.

Com soluções sofisticadas, o criador da tecnologia foi esperto o suficiente para se manter anônimo na internet e desenhar o bitcoin de forma descentralizada para evitar problemas com os Khans modernos. Em certa ocasião, até mesmo citou o corte de cabeças praticado pelos Estados. “Os governos são bons em cortar a cabeça de redes controladas centralmente como o Napster, mas redes puramente ‘ponto a ponto’ como Gnutella e Tor parecem estar se segurando”.

Diferentemente das moedas emitidas pelos Khans modernos, o bitcoin tem um limite de ~21 milhões de unidades, com emissão atual de 6,25 BTC feita a cada aproximadamente 10 minutos.

No bitcoin existe uma certa previsibilidade, não importando quem está governando ou a situação política atual. Gil, eu, você e o povo brasileiro não precisam se preocupar com confiscos de poupança, inflação elevada e tantos problemas que o bitcoin resolve. Não há mais desculpa para continuar repetindo a história desastrosa do papel-moeda.

João Canhada
Mais dos Colunistas
Gustavo Cruz Loki, Doutor Estranho e Inflação

No último dia 09 de junho, a série Loki da Disney+ estreou com um imenso sucesso. Segundo a plataforma, 890 mil famílias assistiram ao episódio piloto. O que  represen...

Gustavo Cruz
Julio Hegedus Netto Sintonia fina: Investidores aguardam próximos passos dos Bancos Centrais

No mundo, todas as atenções se voltam para os próximos passos dos bancos centrais, na conjunção entre retomada da economia global, ritmo de crescimento, trajetória da ...

Julio Hegedus Netto

Compartilhe sua opinião