Bianca Pereira

Pensamento crítico é a nova habilidade do futuro do trabalho e as empresas estão em busca disso

Não é à toa que o pensamento crítico foi selecionado pelo Fórum Econômico Mundial como uma das soft skills mais requisitadas na nova economia.

O ecossistema de inovação muda o tempo todo e de forma dinâmica, sendo cada vez mais necessário que as empresas invistam em colaboradores com habilidades além das curriculares, não apenas profissionais e técnicas como também socioemocionais. Essas habilidades são chamadas de soft skills e são pré-requisitos fundamentais em um processo de recrutamento. As empresas buscam por mão de obra qualificada, mas que também saiam da bolha e, principalmente, tenham pensamento crítico.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2022/03/Ebook-Investindo-para-a-Aposentadoria-1.jpg

O pensamento crítico é indispensável para o desenvolvimento individual e coletivo. Com ele é possível analisar informações, questionar ideias e identificar possíveis contradições, por exemplo. Mas o desafio está em cultivá-lo dentro de uma atmosfera que nos pressiona a seguirmos o pensamento coletivo, ou seja, nos conformarmos com situações que nos são apresentadas no dia a dia.

O desafio se torna ainda mais complexo quando temos um time de colaboradores que precisamos incentivar diariamente para não perder o seu pensamento crítico e, além disso, aprimorá-lo. Neste contexto, o CEO de uma empresa deve assumir o seu papel de líder e propor atividades em que os colaboradores sejam provocados a sair da sua zona de conforto, do piloto automático, navegando em novas possibilidades. Isso pode acontecer através de uma capacitação interna ou até mesmo em palestras motivacionais, muito utilizadas hoje em dia por empresas de diversos segmentos.

Não é à toa que o pensamento crítico foi selecionado pelo Fórum Econômico Mundial como uma das soft skills mais requisitadas na nova economia. Para desenvolver essa habilidade é fundamental seguir alguns passos: fazer perguntas, questionar os padrões impostos pela sociedade, permitir novas perspectivas e se abrir para alternativas que quebrem os paradigmas vigentes. Seguindo esses passos, a pessoa será capaz de construir seu próprio pensamento crítico.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/1420x240-Investindo-no-exterior.png

Além de ignorar ideias impostas, neste processo de construção é importantíssimo desafiar os nossos próprios vieses inconscientes, que são aqueles preconceitos que estão dentro de nós e, que muitas vezes nem percebemos, pois eles impactam diretamente nossa forma de pensar. Todavia, também é necessário estar atento, ligar nossa escuta ativa e ficar disponível para ouvir outras opiniões e buscar entender novos pontos de vista. Fazendo isso estamos nos abrindo para novas interpretações e expandindo nosso mecanismo mental.

Outra estratégia que deve ser adotada na construção do pensamento crítico é a ampliação do repertório, ou seja, explorar novos e diferentes conteúdos. Fugir do que você está acostumado a consumir, buscando novas sensações, locais e pessoas com quem você possa conversar e tenha contato com dilemas e provocações mentais intrigantes. Mas também não esqueça de descansar seu cérebro, fazer uma pausa e relaxar, para que possa absorver as novas experiências e, de fato, desenvolver o seu pensamento crítico de forma saudável.

*Bianca Junqueira é co-CEO da fintech Portão 3

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Nota

Os textos e opiniões publicados na área de colunistas são de responsabilidade do autor e não representam, necessariamente, a visão do Suno Notícias ou do Grupo Suno.

Bianca Pereira

Compartilhe sua opinião