Caixa estende a suspensão do pagamento de prestações imobiliárias

Caixa estende a suspensão do pagamento de prestações imobiliárias
Coronavoucher: pedidos serão analisados em 20 dias

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, anunciou nesta terça-feira (14) que estenderá a suspensão do pagamento das prestações de financiamento imobiliário. A medida foi anunciada devido à crise econômica causada pela pandemia do coronavírus (covid-19), que possibilitou que as prestações fossem adiadas, inicialmente, por 120 dias. O prazo foi aumentado para até seis meses, posteriormente.

Em uma entrevista realizada ao programa Gaúcha Atualidade, Guimarães explicou que a decisão de aumentar o prazo de suspensão dos pagamentos já foi tomada e aprovada internamente. Segundo ele, o anúncio oficial depende somente de de uma conversa com o presidente Jair Bolsonaro, embora, já tenha dito anteriormente que essa etapa não é necessária.

Durante o programa, o presidente explicou: “A Caixa nunca lucrou tanto e ajudou tanto a população. Esse é o equilíbrio entre ser um banco social e um banco que ganhe dinheiro para poder fazer uma pausa de seis meses que nenhum outro banco tem. Há uma conversa muito próxima de anúncio. Se a crise continua muito forte, vocês já sabem a resposta… vai aumentar a pausa”.

Suno One: o primeiro passo para alcançar a sua independência financeira. Acesse agora, é gratuito!

Além disso, Pedro Guimarães concluiu orientando as pessoas sobre os pagamentos. “A quem tiver qualquer dificuldade, sugerimos pausar, pois você vai pagar zero. Quem não tiver dificuldade, não pause, pois a pausa é uma postergação do pagamento. Você não vai pagar tudo de uma vez após a pausa. Vai colocar esses quatro meses de pausa no tempo que resta de financiamento. Na maioria das vezes, aumenta até R$ 50, muito pouco”.

Caixa liberou o saque do coronavoucher

A Caixa também liberou nesta terça-feira o saque da primeira parcela do auxílio emergencial de R$ 600, conhecido como coronavoucher, para os trabalhadores nascidos entre outubro e dezembro que tiveram o benefício depositado na poupança digital em 16 de junho.

Veja Também: Coronavoucher: governo prorroga auxílio emergencial por mais 2 meses

São dois calendários para o pagamento do coronavoucher, ambos com base na data de aniversário dos trabalhadores. O primeiro é para depósito na poupança digital da Caixa, o segundo é para o saque do auxílio em dinheiro nas agências do banco.

Daniel Guimarães

Compartilhe sua opinião